Entenda os protestos no Palmeiras às vésperas da Supercopa contra o Flamengo

Em semana de Supercopa, o Palmeiras precisa enfrentar uma crise interna antes de pegar o Flamengo no sábado. Depois do empate com o São Paulo, os muros da sede social do clube foram pichados, e mais uma vez o alvo foi a presidente Leila Pereira, que já havia sido hostilizada pela arquibancada no estádio, mais cedo.

– Queremos jogadores. Diretoria fraca. Acorda blogueirinha – foram algumas das mensagens escritas.

Na véspera, a mandatária também ouviu protestos e cobranças por reforços. "Blogueirinha" foi usado pela primeira vez no ano passado, após a eliminação na Libertadores, quando uma das organizadas do Palmeiras criticou a exposição de Leila por seus feitos pelo clube em canais de televisão e redes sociais.

Atual campeão paulista e brasileiro, o Palmeiras não contratou ninguém em 2023, após a perda de Danilo e Gustavo Scarpa, negociados com o Nottingham Forest, da Inglaterra. Leila informou que não gastaria alto sem pensar, e que as vendas são pagas de forma parcelada.

Desde o ano passado o clube tem freado os investimentos para equilibrar as finanças. O técnico Abel Ferreira também indicou preferir a chegada de jogadores que não sejam apostas, pois estas já tem entre os jovens revelados no Palmeiras. Com as opções em mãos até aqui, não tem sido possível recuperar o bom futebol jogado pela equipe nos últimos anos.