Entenda por que acontece o surto de virose que infectou jogadores do Botafogo, os sintomas e como podem prejudicar desempenho esportivo

Nas últimas semanas, o Botafogo vem sofrendo com casos de uma virose gastrointestinal entre os jogadores do elenco profissional e a comissão técnica. Segundo comunicado do clube, cerca de dez funcionários foram infectados. Entre eles, o meia Carlos Eduardo e o lateral-esquerdo Hugo chegaram a ser hospitalizados. Outros, como Gatito Fernández, Jeffinho, Saravia e Marçal também apresentaram sintomas — o goleiro chegou a ficar de fora do jogo contra o Atlético-MG.

Embora o clube não tenha divulgado o que causou o problema viral nos jogadores, especialistas afirmam que a maior probabilidade é que tenham ocorrido pela ingestão de algum alimento ou água contaminadas por essas bactérias.

— A principal característica desse tipo de diarreia é a rapidez com que ela se instala após a ingestão do alimento contaminado e o fato de que todos os indivíduos que se expuseram aquela fonte alimentar, desenvolvem diarreia mais ou menos no mesmo período. Em situações mais raras ou em pacientes com comorbidades, pode levar a hospitalização por desidratação e insuficiência renal —

Com o quadro de infecção, o sistema imunológico da pessoa contaminada começa a atuar para conter a virose. Nesse processo, algumas proteínas são liberadas para eliminar o vírus, o que gera um estresse no organismo que proporciona a fadiga.

Além disso, dependendo da intensidade dos sintomas, o indivíduo pode acabar desidratado ou com perda de eletrólitos, como potássio. Com isso, o doente pode ficar enfraquecido, com menor resistência física e maior risco de fadiga muscular precoce. No caso dos jogadores de futebol, a possibilidade de lesões aumenta — problema ainda maior para o Botafogo, que vive um problema crônico de contusões na temporada.

— Durante o surto, recomenda-se uma dieta que seja pobre em fibras e que tenha componentes obstipantes, como suco de caju, banana, grelhados e arroz branco, que são suficientes para manter a nutrição do paciente sem aumentar o risco de contribuir para a persistência da diarreia — falou o professor. — Em todo indivíduo com quadro diarreico, a recomendação é a hidratação. Quando o indivíduo tolera a hidratação oral, que se faça essa hidratação com líquidos que contenham alguma quantidade de glicose, além de potássio e outros eletrólitos. Agua de coco é opção — concluiu.

De acordo com Paraná, a recomendação é de que infectados não façam esforço físico que requeira muita atividade muscular por até 48h. No anúncio, o Botafogo afirmou que alguns jogadores tiveram suas atividades impactadas. Hugo e Saravia são dois deles. Segundo o 'Ge', a dupla de laterais não participou do treinamento da última terça.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos