Entenda por que o trânsito de mercadorias pelo enclave de Kaliningrado aumenta tensão entre Rússia e Lituânia

O tom sobe desde segunda-feira (20) entre a Rússia e a Lituânia, que impôs restrições ao trânsito de algumas mercadorias por ferrovia até o enclave russo de Kaliningrado. Moscou afirma que caso a situação não seja normalizada, vai "agir para defender os direitos nacionais".

Membro da União Europeia (UE), a Lituânia aguarda uma reação do bloco, sob muito nervosismo. Desde o último fim de semana, o governo do país começou a aplicar as sanções europeias contra a Rússia. Em decorrência das sanções, o trânsito de algumas mercadorias por via férrea em direção a Kaliningrado – enclave russo localizado entre a Lituânia e a Polônia – foi interrompido. Entre os produtos atingidos pelas medidas europeias estão equipamentos tecnológicos, material de construção, metais e carvão.

O governo lituano alega que as restrições não foram impostas por sua vontade, mas após decisão da UE, em resposta à invasão russa na Ucrânia. "Não é a Lituânia, são as sanções europeias que entraram em vigor em 17 de junho", declarou o chefe da diplomacia lituana, Gabrielius Landsbergis. Neste contexto, "as mercadorias sancionadas (...) deixarão de ser autorizadas a transitar pela Lituânia", especificou o ministro.

O serviço alfandegário do país também tentou intervir, ressaltando que o transporte em direção de Kaliningrado não foi completamente interrompido. "Os trens de passageiros continuam a circular, bem como as mercadorias que não são visadas pelas sanções", indicou Lina Laurinaityte-Grigiene, do serviço aduaneiro lituano.

(RFI com agências)


Leia mais

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos