Entenda a proibição do uso de caixas de som nas praias do Rio

*ARQUIVO* RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 28-02-2022: Movimento na praia de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro. Banhistas aproveitam o feriado de carnaval, o forte calor e lotam as praias do Rio. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)
*ARQUIVO* RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 28-02-2022: Movimento na praia de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro. Banhistas aproveitam o feriado de carnaval, o forte calor e lotam as praias do Rio. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A proibição do uso de caixas de som e de equipamentos similares nas praias do Rio de Janeiro, publicada em decreto da prefeitura na terça-feira (26), dividiu opiniões nas redes sociais.

A determinação prevê multa de R$ 500 e recolhimento do equipamento, mas detalhes sobre as penalidades devem ser anunciados apenas na próxima semana. Entenda o que já se sabe sobre a medida.

O que determinou a Prefeitura do Rio de Janeiro?

A prefeitura proibiu a utilização de caixas de som e de quaisquer meios de amplificação sonora nas praias da cidade --situação que já estava vedada pela legislação municipal.

A proibição, publicada no Diário Oficial do município na terça-feira (26), também vale para as unidades de conservação de proteção integral sob tutela da Smac (Secretaria Municipal de Meio Ambiente), como os parques do Dois Irmãos, da Prainha e de Grumari e o Pão de Açúcar.

Há exceções?

As exceções são os eventos autorizados pelo município e a promoção de atividades desportivas ou de lazer devidamente autorizadas pelo Poder Executivo.

A medida vale para os quiosques?

Não, a medida vale apenas para a faixa de areia --mas os quiosques já precisam seguir algumas regras. Decreto de 2019 da prefeitura limitou o máximo de ruído permitido em apresentações musicais nesses locais para 55 decibéis no período diurno e 50 decibéis no período noturno.

Qual a penalidade para quem desrespeitar o decreto?

O decreto da prefeitura prevê multa de R$ 500 e apreensão do equipamento de som, formalizada com a emissão de Termo de Retenção de Equipamento Sonoro.

Segundo a Seop (Secretaria Nunicipal de Ordem Pública), na próxima semana deverá ser publicada uma resolução detalhando as penalidades e os trâmites. Até a publicação desta resolução, a abordagem será "orientativa e educativa", diz a secretaria.

Qual órgão ficará responsável pela fiscalização?

A utilização das caixas de som será coibida pela Guarda Municipal, mas também estão aptos a fiscalizar o decreto as equipes da coordenadoria de Controle Urbano, da coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização e da secretaria de Meio Ambiente.

O que fazer no caso da apreensão do equipamento?

Para recuperar o aparelho, a pessoa precisará apresentar o lacre de apreensão (entregue no momento do recolhimento) e a nota fiscal do equipamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos