Entenda qual a estrutura e como funciona o SUS, sistema público de Saúde

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
A patient receives medicines at the Medical Care Ship Unit UBS, docked at the riverside community of Selma Barra, on the river Buissu, municipality of Melgaco in Marajo Island, state of Para, Brazil on July 30, 2020 during the COVID-19 coronavirus pandemic. - The UBS ship is crossing the rivers of Melgaco attending more than five thousand people of more than 100 riverside communities of the region carrying out COVID-19 tests and providing all sort of medical treatments. (Photo by TARSO SARRAF / AFP) (Photo by TARSO SARRAF/AFP via Getty Images)
Unidade Básica de Saúde em Melgaco, na Ilha do Marajó, estado do Pará (Foto: Tarso Sarraf/AFP via Getty Images)

Durante toda a quarta-feira, 28, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu críticas pela autorização dada ao ministério da Economia para criar um modelo de privatização das Unidades Básicas de Saúde. O ministério da Saúde não está envolvido no projeto.

O objetivo do governo seria conseguir parceiros da iniciativa privada para construir, modernizar e operar as UBS em todo o Brasil. O modelo assustou a muitos, que temem que, fora das mãos do estado, o Sistema Único de Saúde deixe de ser abrangente e gratuito.

UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

O atendimento básico do SUS é feito nas Unidades Básicas de Saúde. Esses locais são chamados também de postos de saúde e são onde a população tem acesso à atenção básica. Nestes locais, podem fazer consultas e exames de rotina e o foco é a prevenção de doenças e cuidados primários.

É para os postos de saúde que as pessoas vão caso não seja necessário ir a um hospital ou a uma emergência. Nas Unidades Básicas de Saúde também são feitas as vacinações e entregues medicamentos.

Leia também

UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO

Conhecidas como UPAs, as Unidades de Pronto Atendimento funcionam 24 horas por dia e são usadas em casos de urgência. O objetivo das UPAs é estabilizar o quadro do paciente e tentar resolver emergencialmente a demanda. Como não há internação, caso seja necessário, a pessoa é encaminhada para um hospital.

HOSPITAIS PÚBLICOS

Caso o quadro não seja resolvida na UPA, o paciente pode ser transferido para um hospital da rede pública. Na teoria, o último nível do SUS seria apenas para casos mais complexos.