Entidades de arquitetetura criticam decisão de Eduardo Paes de trocar nome de parque no Leblon

Luiz Ernesto Magalhães
·3 minuto de leitura

RIO - O espaço ainda é pouco conhecido pelos moradores da própria cidade, mas é um dos locais com a vista mais privilegiada do Rio. De seus quatro mirantes, é possível observar quase toda a Zona Sul, a Lagoa Rodrigo de Freitas e o Cristo Redentor. Inaugurado em 1992 com acesso pela Rua Aperana, no Leblon, o Parque Natural Penhasco Morro Dois Irmãos (nome original) está no centro de uma polêmica que colocou em lados opostos o prefeito Eduardo Paes e pelo menos oito entidades de arqutetura e urbanismo. Na semana passada, por decreto, o prefeito decidiu rebatizar o espaço, que desde 2002 levava o nome do arquiteto Sérgio Bernardes, pelo do ambientalista Alfredo Sirkis, que morreu em julho do ano passado em um acidente no Arco Metropolitano.

Um dos principais nomes da arquitetura modernista do país, Sérgio Bernardes — que, entre outros projetos, assinou no Rio os postos de salvamento da orla e o Pavilhão de São Cristóvão — morreu em 2002. Na ocasião, por iniciativa do próprio Sirkis (então secretário municipal de Urbanismo), o ex-prefeito Cesar Maia (hoje vereador) decidiu rebatizar o parque em homenagem ao arquiteto.

As entidades reconhecem a importância de Sirkis para a história do Rio. Lembram que como secretário municipal de Meio Ambiente no primeiro governo Cesar (1993-1996) comandou uma série de mutirões de reflorestamento, incluindo o Morro Dois Irmãos. Mas consideram que a troca de nome representa um desrespeito com arquitetos e urbanistas. Como alternativaa, sugerem que o parque volte ao nome antigo. Ou que a orla do Leblon e Ipanema seja batizada de Sérgio Bernardes.

Procurado, o prefeito Eduardo Paes ainda não se manifestou.

Veja a integra do manifesto:

Foi com assombro e indignação que a comunidade de arquitetos e urbanistas recebeu a súbita notícia sobre o decreto de substituição do nome do arquiteto Sérgio Bernardes pelo do jornalista Alfredo Sirkis como denominação do antigo Parque Natural Penhasco Dois Irmãos no bairro do Leblon no Rio de Janeiro.Sirkis foi responsável pela criação do parque e pelo notável projeto de reflorestamento do morro Dois Irmãos. Tem biografia admirável. E mereceria ser, ali, imortalizado.

As suas cinzas depositadas no local poderiam ensejar a criação de uma praça com seu nome dentro do Parque Sergio Bernardes, onde, inclusive, sua biografia e memória poderiam ser homenageadas. Mas homenagem que desfaz homenagem anterior já nasce depreciada e paradoxalmente injusta. Seu legado nunca deveria associar-se a uma ideia tão absurda como esta “des-homenagem”, a este desrespeito.Sérgio Bernardes foi um dos maiores arquitetos de sua época. Foi responsável por diferentes obras que podem ser avistadas do próprio Parque, inclusive, os emblemáticos postos de salvamento localizados ao longo da orla.

Em 2019, o centenário de seu nascimento (SB 100) foi celebrado amplamente pela categoria, com exposição patrocinada pelo CAU/RJ no Museu Nacional de Belas Artes e com debate histórico promovido pela própria Prefeitura, no Centro Carioca de Design.O Parque Natural Penhasco Dois Irmãos recebeu o nome Parque Sérgio Bernardes – Arquiteto, em 2002, durante o mandato do Prefeito Cesar Maia, precisamente quando Alfredo Sirkis era Secretário Municipal de Urbanismo e Presidente do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP). Dificilmente, o próprio Alfredo Sirkis aceitaria ser homenageado passando por cima do legado de Sérgio Bernardes que ele mesmo e ali mesmo desejou imortalizar.A Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro presta, assim, um desserviço à cidade e desrespeita toda a categoria.

Pelos motivos acima expostos, vimos solicitar a revogação do Decreto Rio nº 48.807 de 29 de abril de 2021 ou a decretação, o mais rápido possível, da orla de Ipanema e Leblon como Orla Bernardes.

Colégio Estadual das Entidades de Arquitetura e Urbanismo (CEAU)

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ)

Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Abea)

Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado do Rio de Janeiro (Sarj)

Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (Abap)

Departamento Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ)Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura – RJ (AsBEA)

Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (FeNEA)