Entidades médicas condenam retirada de homenagem a cientistas críticos ao governo: 'Caráter político-ideológico'

·2 min de leitura

RIO - A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) repudiou nesta segunda-feira a revogação de homenagens concedidas a dois cientistas do país críticos à condução da pandemia pelo atual governo. A sanitarista Adele Schwartz Benzaken e o infectologista Marcus Vinicius Guimarães de Lacerda haviam sido condecorados com a Ordem do Mérito Científico, mas a honraria foi retirada pelo presidente Jair Bolsonaro.

O chefe do Executivo excluiu na última sexta-feira o nome dos dois pesquisadores dentre os 32 que seriam contemplados pela honraria. A decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Após a medida, 21 cientistas condecorados pelo governo com a Ordem do Mérito Científico assinaram uma carta aberta renunciando à distinção.

Em nota endossada pela Associação Médica Brasileira (AMB), a SBI se solidarizou com os cientistas e classificou o episódio como "suis generis" e "notadamente de caráter político-ideológico".

"Temos orgulhopelas suas brilhantes trajetórias, pois desempenham trabalhos notáveis para a saúde públicaem âmbito científico, além de serem referências internacionais em suas áreas específicas deatuação. Ambos são reconhecidos pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), cujotrabalho traduziu-se em contribuições importantes para a ciência brasileira", destacou a entidade.

Lacerda foi um dos primeiros pesquisadores a fazer um estudo demonstrando a ineficácia da cloroquina no tratamento contra a Covid-19. Já Benzaken ocupava o cargo de diretora do departamento de HIV/Aids do Ministério da Saúde, mas foi exonerada no início do governo Bolsonaro. Ela alegou na época que a demissão foi causada por uma cartilha destinada para homens trans.

Benzaken foi responsável por"implementar políticas que muito beneficiaram as pessoas vivendo com HIV/aids,disponibilizando os melhores medicamentos para o tratamento para estes, assim como paraos portadores de hepatite crônica C".

Já Lacerda é pesquisador da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado. Ele é descrito como "infectologista reconhecido pelacomunidade científica mundial, especialmente em estudos clínicos para eliminação damalária no Brasil, através de pesquisas clínicas com novos esquemas terapêuticos e novosantimaláricos". O médico também lidera estudos sobre as melhores formas de tratamento eprevenção de HIV/Aids, tuberculose e da dinâmica de transmissão de arboviroses naAmazônia brasileira.

"A Sociedade Brasileira de Infectologia reforça o seu compromisso com a ciência, embusca da valorização da pesquisa nacional e, sobretudo, da defesa da atividade médicabaseada no rigor científico, ética e transparência", conclui a nota.

A Ordem do Mérito Científico tem como objetivo homenagear personalidades que "se distinguiram por suas relevantes contribuições prestadas à Ciência, à Tecnologia e à Inovação". A admissão na ordem é do presidente da República, que avalia nomes apresentados pelo ministro das Relações Exteriores. A indicação, no entanto, recebe antes aprovação do Conselho da Ordem — formado pelo chanceler e pelos ministros da Ciência e Tecnologia, da Economia e da Educação.

Sugestões podem ser apresentadas ao chanceler pelos membros do conselho, a Academia Brasileira de Ciências ou "autoridade da área da ciência, tecnologia e inovação".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos