Entidades pedem anulação da nomeação de presidente da Fundação Palmares

Bruno Góes e Jussara Soares

BRASÍLIA — Entidades que defendem o movimento negro enviaram ao Procurador-Geral da República, Augusto Aras, um pedido de anulação da nomeação do novo presidente da Fundação Palmares,Sérgio Nascimento de Camargo. O pedido foi feito após O GLOBO revelar as posições do Camargo sobre questões raciais. Ele já afirmou que no Brasil não existe "racismo real", que a escravidão foi "benéfica para os descendentes" e que o movimento negro precisa ser "extinto".No pedido, entidades como Educafro e União de Negros pela Igualdade (Unegro) dizem que há "evidente a incompatibilidade" entre os valores de Sérgio e o objetivo da Fundação Palmares, que é promover a cultura afro-brasileira."Trata-se de verdadeira operação de sabotagem dos poucos avanços que a população negra conquistou em nosso país, sobretudo nos últimos anos, resultado do acúmulo da luta de diversas gerações, situação absolutamente incompatível com a Constituição Cidadã", diz trecho do documento.

Leia: De Martinho a novo presidente da Fundação Palmares: 'Quem é você que não sabe o que diz?'A representação pede à PGR que vá à Justiça para que Camargo seja retirado do cargo. Para isso, argumenta que sua nomeação fere a Lei de Improbidade Administrativa."Deve-se alertar que, apesar da livre nomeação para o referido cargo prevista em lei, a designação de pessoas para o comando de órgãos com o claro intuito de desestruturá-los fere os princípios básicos que regem a administração pública e está sujeita às sanções previstas em lei".

Mudança : Novo secretário responsável pela Lei Rouanet é crítico à Tropicália e ao 'progressismo'Além das duas entidades, assinaram grupos como Rede Afro LGBT, Nosso Coletivo Negro, Movimento Negro Unificado, Frente Favela Brasil, Rede Quilombação e a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras, Rurais e Quilombolas (Conaq).