Entidades pedem indenização de R$ 10 mi à XP e Ável após foto viralizar

·1 minuto de leitura
Entidades ajuízam ação contra Ável e XP por processos seletivos discriminatórios, diz Conjur (Getty Image)
Entidades ajuízam ação contra Ável e XP por processos seletivos discriminatórios, diz Conjur (Getty Image)
  • Organizações moveram uma ação contra a Ável e XP por falta de diversidade na empresa

  • Imagem divulgada pelas empresas gerou repercussão nas redes sociais 

  • Aglomeração e ausência de máscara também chamou a atenção dos internautas

Após a repercussão de uma foto divulgada pela Avel, com um grupo de dezenas de homens brancos, entidades dos movimentos negro, feminista e de defesa dos direitos humanos protocolaram uma ação civil pública.

Leia também:

Segundo o Conjur, "na ação, as entidades pedem indenização de R$ 10 milhões por dano social e moral coletivo e que as empresas cumpram uma série de medidas para aumentar a diversidade". 

Localizada em Porto Alegre (RS), a Ável se apresenta como "o maior escritório de assessoria digital da XP". Entre os 111 assessores de investimentos mostrados no site da corporação, apenas 8% são mulheres, além de não haver uma precisão de quantas pessoas negras integram a equipe.

Integrando a ação estão a Educafro, a Frente Nacional Antiracista, a Associação Visibilidade Feminina e o Centro Santos Dias de Direitos Humanos. O processo engloba a Avel Corretora de Seguros e Serviços Financeiros e XP Investimentos.

Outro ponto de crítica por parte dos internautas foi a aglomeração de pessoas sem máscara durante o período da pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos