'Entre vacina e cloroquina, fiquei em cima do muro', diz Bolsonaro no Flow

Bolsonaro afirmou que ficou 'em cima do muro', negou ter defendido o uso da cloroquina e disse que não atuou contra a compra ou aplicação de vacinas no Brasil. (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
Bolsonaro afirmou que ficou 'em cima do muro', negou ter defendido o uso da cloroquina e disse que não atuou contra a compra ou aplicação de vacinas no Brasil. (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) negou ter feito campanha ou defendido o uso de remédios comprovadamente ineficazes contra a Covid-19 como, por exemplo, a hidroxicloroquina e a cloroquina. O candidato à reeleição também afirmou que não desestimulou ou atuou contra a aplicação da vacina no Brasil.

Em entrevista ao Flow Podcast, Bolsonaro afirmou que ficou "em cima do muro". No podcast, o mandatário fez diversas críticas à imunização obrigatória e defendeu que as pessoas deveriam ter liberdade de escolher entre a vacina e o chamado "kit covid", com medicamentos ineficazes contra a doença.

“Eu não fiquei do outro lado do politicamente correto. Eu fiquei em cima do muro. Olha, é isso: você tem que decidir se quer tomar a vacina ou não. Você tem que decidir se vai tomar vacina ou não”, disse o presidente.

Bolsonaro voltou a dizer que não tomou a vacina e defendeu que os médicos tivessem a liberdade de receitar medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença que matou mais 700 mil pessoas no país.

O chefe do Executivo também voltou a falar contra a política de isolamento social, praticada em 2020, e disse que a ideia dele era proteger os mais velhos mas manter os mais jovens em atividade.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

“Pode ser um placebo. Pode ser. Mas chama-se liberdade médica. Autonomia médica. Que foi também castrado essa questão”, defendeu o mandatário.

Bolsonaro voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) por ter dado autonomia aos estados nas políticas de combate à pandemia, afirmando que perdeu o poder de conduzir a questão.

Bolsonaro no Flow

Bolsonaro concede entrevista ao Flow Podcast após agenda na capital paulista — Bolsonaro se reuniu nesta segunda (8) com executivos da Febraban (Federação Brasileira de Bancos). O atual chefe do Executivo é o primeiro presidenciável entrevistado no podcast.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) já foram convidados para participar do programa no período pre-eleitoral, mas ainda não há confirmação de datas.

Na sexta-feira (5) passada, Bolsonaro decidiu que irá aos estúdios da TV Globo no Rio de Janeiro dar uma entrevista ao Jornal Nacional. Lula, Ciro e Tebet também serão entrevistados pelo jornal.

O desejo de Bolsonaro era ser sabatinado no Palácio da Alvorada, em Brasília, contrariando as regras da TV Globo, que irá entrevistar os candidatos do PT, do PDT e do MDB nos estúdios do canal.

A emissora esclareceu que foi decidido, desde as eleições de 2014, que todas as entrevistas devem ser concedidas no mesmo local, para garantir igualdade de tratamento entre os candidatos.

O Jornal Nacional convidou os cinco candidatos mais bem ranqueados nas pesquisas, segundo a última pesquisa do Instituto Datafolha, do dia 28 de julho.