Entrevista: 'Doria já tem um grau alto de rejeição’, diz senador tucano que defende apoio a Simone Tebet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Figura histórica do PSDB e uma das vozes de oposição ao governador paulista João Doria, o senador José Aníbal defende o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) como o mais viável para quebrar a polarização entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL). Para Aníbal, Doria, pré-candidato de seu partido, tem rejeição muito alta e não conseguiu quebrar resistências na sigla, enquanto Tebet desponta como novidade. Na pesquisa Datafolha mais recente, divulgada em 16 de dezembro, Doria está numericamente à frente: ele tem 3%, enquanto Tebet tem 1%.

Por que o senhor acha que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) é o único nome viável para a terceira via?

Eu não diria que é o único. Estamos entusiasmados com a candidatura da Simone. Ela representa algo novo nesse processo. Não só pelo fato de ser mulher. Ela tem uma compreensão boa da realidade que o país vive hoje e tem ideias para que a gente possa reconstruir o Brasil. Para sair da crise e do buraco, o país precisa voltar a crescer, combater as desigualdades de forma mais sustentável. De partida, temos dois candidatos que estão com a preferência do eleitorado. E tem três ou quatro candidatos que estão tentando buscar um caminho. Mas acho que a candidatura da Simone ajuda muito nisso. É uma pessoa que conhece finanças públicas, prioridade do gasto público e tem ideias para nos tirar da crise. Ela tem o que dizer e para diferentes públicos.

Mas o PSDB tem como pré-candidato o governador de São Paulo, João Doria. Como vê a candidatura dele?

Ele (Doria) está dentro desse movimento de buscar uma alternativa. Mas já tem um grau de resistência, de rejeição que não é pequeno. Que é muito superior à intenção de voto que ele tem, que permanece estável. A Simone tem baixíssima rejeição. É porque ela é pouco conhecida? Também. Mas não quer dizer que à medida que fique conhecida vá ficando rejeitada. Esse conhecimento pode significar um movimento de adesão.

Veja, em reportagem exclusiva para assinantes do GLOBO, o que Aníbal projeta sobre a candidatura de Simone Tebet, sobre a postura do MDB, e como ele vê o futuro do seu partido, o PSDB, além da candidatura do governador João Doria. Saiba também o que o senador pensa sobre a aproximação do ex-presidente Lula (PT) com Geraldo Alckmin e políticos tucanos históricos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos