Me entristece ver políticos impactados pela Lava Jato disputando cargos, diz Rosângela Moro

*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 28.08.2022: MONICA BERGAMO - Primeiro debate entre os principais candidatos a presidência, organizado pela Folha, UOL, TV Bandeirantes e TV Cultura, no estúdio da Band no Morumbi, São Paulo. Na foto, Rosângela Moro (candidata a deputada estadual). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 28.08.2022: MONICA BERGAMO - Primeiro debate entre os principais candidatos a presidência, organizado pela Folha, UOL, TV Bandeirantes e TV Cultura, no estúdio da Band no Morumbi, São Paulo. Na foto, Rosângela Moro (candidata a deputada estadual). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A candidata a deputada federal por São Paulo Rosângela Moro (União Brasil) afirmou nesta quarta-feira (21) que se entristece ao ver políticos que foram alvo da Operação Lava Jato concorrendo a cargos públicos. Ela, que disputa a primeira eleição, disse ainda que optou por disputar por São Paulo porque considera o estado carente de representantes que tenham como principal bandeira o combate à corrupção.

"Vejo que São Paulo está carente de um legítimo representante da Operação Lava Jato e do combate à corrupção. Vimos nas eleições de 2018 muitos candidatos usando essa pauta [da corrupção], mas ao longo dos anos, no decorrer dos seus mandatos, vejo com tristeza que eles se distanciaram dessa discussão", disse Rosângela em live transmitida pelo Instagram da Folha de S.Paulo.

Rosângela é mulher do candidato ao Senado e ex-juiz federal Sergio Moro (União Brasil), que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em decisão que foi posteriormente anulada pelo colegiado do STF. Ao ser questionada sobre como combater a corrupção, a candidata disse que a pauta sempre terá espaço no Congresso.

"Não só tem espaço, mas temos obrigação como cidadão. Muito me entristece ver que pelo menos 25 pessoas que foram impactadas com a Operação Lava Jato estejam novamente disputando cargos", disse.

Um dos fatores que a fizeram optar por concorrer em São Paulo foi o apoio que a Lava Jato recebeu no estado. Ela diz acreditar que as eleições vão renovar o Congresso e pediu aos eleitores que se atentem aos candidatos que foram alvo da operação.

Rosângela Moro citou Lula nominalmente ao reiterar que o ex-presidente não foi inocentado pela Justiça. Ela lembrou que a sentença de Sergio Moro foi depois confirmada no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

"No meio do caminho o STF mudou a jurisprudência para alterar a possibilidade de prisão em segunda instância", disse Rosângela, "E novamente o brasileiro fica desamparado com sensação de impunidade".

Em um eventual segundo turno entre Lula e o presidente Jair Bolsonaro (PL), Rosângela ficou em cima do muro. "Ainda foco no primeiro turno", disse.