Enviado dos EUA diz não ter intenções hostis contra Coreia do Norte e pede conversações

·1 minuto de leitura
Enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte, Sung Kim (lado esquerdo), com sua contraparte sul-coreana, Noh Kyu-duk (lado direito), durante reunião no Plaza Hotel, em Seul

Por Josh Smith e Hyonhee Shin

SEUL (Reuters) - Os Estados Unidos não têm intenções hostis contra Pyongyang e estão abertos a uma reunião a qualquer hora e em qualquer local, disse o enviado especial de Washington para a Coreia do Norte nesta segunda-feira durante uma visita à Coreia do Sul.

Sung Kim chegou a Seul no sábado para uma visita de quatro dias.

A visita ocorre no momento em que um breve degelo das relações intercoreanas deu lugar a um novo impasse devido aos exercícios militares entre os EUA e a Coreia do Sul --a Coreia do Norte alertou que eles podem desencadear uma crise de segurança.

"Os Estados Unidos não têm intenções hostis contra (a Coreia do Norte)", disse Kim aos repórteres depois de se encontrar com sua contraparte sul-coreana, Noh Kyu-duk.

"Os exercícios militares combinados (entre os EUA e a Coreia do Sul) em andamento são antigos, rotineiros e de natureza puramente defensiva, e apoiam a segurança de nossos dois países."

Noh disse que ele e o colega debateram uma possível ajuda humanitária para a Coreia do Norte, além de maneiras de reativar as travadas conversas sobre desnuclearização.

"Concordamos em trabalhar juntos para retomar o diálogo com a Coreia do Norte o mais cedo possível", disse ele.

No domingo, Kim se encontrou com o ministro das Relações Exteriores sul-coreano, Chung Eui-yong, na residência do chanceler, onde debateram maneiras de retomar com rapidez o processo de paz na península coreana, disse uma autoridade da chancelaria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos