Envio de migrantes, nova arma política para pesos pesados da direita nos EUA

O envio de imigrantes em aviões e ônibus por governadores republicanos, tanto para uma luxuosa ilha no nordeste dos Estados Unidos quanto para Washington, desencadeou uma batalha política no país nesta quinta-feira (15), poucas semanas antes de eleições legislativas cruciais.

Há meses, autoridades republicanas locais, incluindo o poderoso governador do Texas, Greg Abbott, estão transferindo migrantes para redutos democratas em todo o país.

Elas o fazem como forma de denunciar a política do presidente Joe Biden, a quem acusam de ter transformado a fronteira com o México em uma peneira, e de tentar colocar a imigração no centro da campanha para as eleições de 8 de novembro.

O governador do Texas, Greg Abbott, pioneiro dessa iniciativa e também em campanha pela reeleição, enviou dois ônibus de migrantes para perto da residência da vice-presidente democrata Kamala Harris, que chegaram a Washington na manhã desta quinta-feira, segundo a FoxNews.

Abbott garante que enviou 10.000 migrantes desde abril a Washington, Nova York e, mais recentemente, a Chicago.

Por meio de sua porta-voz, a Casa Branca tachou de "vergonhoso" e "cruel" o translado de migrantes realizado pelos governadores.

"É uma manobra fria e premeditada", afirmou a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, ao acusar os dirigentes republicanos de usar os imigrantes como "peões" no xadrez político.

- O adversário de Trump -

O governador republicano da Flórida, Ron DeSantis, assumiu a responsabilidade pelo envio de dois aviões de imigrantes para uma ilha luxuosa no nordeste dos Estados Unidos.

Um grupo de cerca de 50 imigrantes venezuelanos, incluindo crianças, chegou na quarta-feira a Martha's Vineyard, um local de férias exclusivo que recebeu os Kennedys, os Clintons e os Obamas, segundo o jornal local MV Times.

Embora o governador da Flórida tenha organizado esse transporte, os aviões com migrantes chegaram do Texas e não de seu estado, segundo o jornal.

"Imigrantes estão sendo transportados para Martha's Vineyard por voos fretados do Texas. Muitos não sabem onde estão. Eles dizem que foram informados de que receberiam moradia e empregos", tuitou Dylan Fernandes, um parlamentar democrata local, na noite de quarta-feira.

DeSantis, também candidato à reeleição, é visto como um potencial adversário do ex-presidente Donald Trump na corrida pela indicação republicana na disputa à Casa Branca em 2024.

"Os moradores de Martha's Vineyard devem estar animados", brincou Christina Pushaw, da equipe de comunicação de DeSantis, no Twitter na quarta-feira.

"Imigrantes ilegais vão deixar a cidade mais diversificada, o que é um ponto forte, né?"

- "Cruel" -

A política de imigração, um assunto delicado nos Estados Unidos, está ainda mais sensível algumas semanas antes das eleições de meio de mandato.

A imigração é um tema favorito dos republicanos, e mover migrantes em operações espetaculares oferece a eles a chance de colocar o debate de volta ao noticiário.

Transportar esses migrantes para Martha's Vineyard e Washington "era uma necessidade", disse o republicano Andy Biggs, representante do Arizona na câmara baixa do Congresso dos EUA.

"Os líderes democráticos precisam descer de suas torres de marfim e enfrentar a realidade", disse ele.

No entanto, o prefeito democrata de Nova York, Eric Adams, prometeu nesta quinta-feira se concentrar em acolher e não rejeitar imigrantes.

"Explorar pessoas vulneráveis como parte de um golpe político é ultrajante e cruel", disse Elizabeth Warren, senadora democrata de Massachusetts, onde está localizada Martha's Vineyard.

Charlie Crist, oponente democrata de DeSantis na corrida para governador da Flórida, denunciou um "cálculo político" destinado a "servir carne fresca à sua base eleitoral".

O candidato denunciou o custo desta operação, afirmando que a Flórida estava gastando "12 milhões de dólares para tirar crianças imigrantes inocentes de nosso Estado".

led/seb/ad/db/jc/mvv