Envolvidos em briga com Henri Castelli em Alagoas fecham acordo com a Justiça e doarão cestas básicas

Teve um desfecho o processo oriundo do episódio da confusão envolvendo o ator Henri Castelli. A briga aconteceu numa festa em Barra de São Miguel, em Alagoas, no final de 2020. Na época, o artista alegou que foi agredido e exibiu imagens dos hematomas que tinha na face. O que foi negado pelos outros dois homens, o empresário Guilherme Aciolly e Bernardo Malta, envolvidos no episódio, que disseram que a confusão teria sido iniciada pelo artista.

Advogado do empresário, Lucas Doria afirmou que Guilherme e Bernardo aceitaram um acordo proposto pelo Ministério Público (MP). Eles deverão doar R$ 40 mil em cestas básicas para a população local. A primeira audiência aconteceu na manhã desta segunda-feira. Na ocasião, conforme foi destacado pelo advogado, não foi discutida culpa no processo por lesão corpora.

"A audiência foi para fazer o acordo. Aqui em Alagoas, a gente está debaixo d'água, enchentes no interior e em todo canto... E esse processo, ele tramita em São Miguel dos Campos (mesma jurisdição de Barra de São Miguel). Então o promotor do caso, propôs que fosse feito o acordo para comprar cestas básicas, colchão, água e medicamentos para a população de São Miguel dos Campos. Então a gente aceitou esse acordo", explica o advogado, sobre o caso, cujo desfecho não cabe recurso:

""

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos