Equador: Guillermo Lasso busca recuperar popularidade com vacinação obrigatória contra Covid-19

·1 min de leitura

A vacinação contra a Covid-19 será obrigatória no Equador, primeiro país da América Latina e um dos primeiros no mundo a adotar a decisão de forma generalizada para toda população acima de 5 anos de idade. Apenas Tayikistão, Turcomenistão e o Vaticano adotaram a medida até agora. Alemanha, Áustria e Grécia também podem adotar a obrigatoriedade nos próximos meses.

Márcio Resende, correspondente da RFI em Buenos Aires

"Queremos proteger a saúde de todos os equatorianos e nos baseamos nas leis", anunciou a ministra da Saúde, Ximena Garzón. A decisão foi publicada através do documento "Lineamentos de obrigatoriedade da vacinação contra SARS-CoV-2" e é justificada pela situação epidemiológica atual e o risco de emergência de novas variantes. A disponibilidade e acesso de vacinas e as evidências científicas atuais também são citadas.

A base legal para a decisão é a Lei Orgânica de Saúde, que atribui ao Ministério da Saúde a responsabilidade de "declarar a obrigatoriedade das imunizações contra determinadas doenças, nos termos e nas condições que a realidade epidemiológica requer", além de "definir as normas e o esquema básico nacional de imunizações" e de "prover, sem custo à população, os elementos necessários para o cumprimento".

O texto esclarece que "a vacinação não será obrigatória para as pessoas que apresentarem alguma condição médica ou alguma contraindicação certificada".

Argumentos técnicos

Objetivo político

Imunizar metade da população em 100 dias


Leia mais

Leia também:
Um terço dos 2,7 milhões de moradores de Guayaquil, no Equador, contraiu a Covid-19
Equador admite "problemas" para enterrar vítimas da pandemia de coronavírus
Equador: 70% de detentos de uma prisão contaminados pela Covid-19

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos