Equador proíbe entrada de estrangeiros após segunda morte por coronavírus

Segurança usa máscara de proteção em estação de ônibus, na capital do Equador

O Equador anunciou neste sábado que irá proibir a entrada de estrangeiros, após ser registrada a segunda morte causada pelo novo coronavírus, que já infectou 28 pessoas no país.

"A medida entra em vigor às 23h59 deste domingo", declarou o vice-presidente, Otto Sonnenholzner, durante entrevista coletiva em Quito.

Segundo o Ministério do Turismo, "a saída do Equador não está restrita, portanto quem desejar seguir para outros países por via aérea poderá fazê-lo".

A ministra da Saúde do Equador, Catalina Andramuño, informou que foram registrados cinco novos casos, todos de pessoas que vieram da Itália. Na última quarta-feira, o país decretou emergência sanitária ante a pandemia de Covid-19, determinando o isolamento obrigatório por 14 dias para viajantes provenientes de 13 países: China, Espanha, França, Irã, Alemanha, Coreia do Sul, Itália, Dinamarca, Noruega, Holanda, Suécia, Suíça e Estados Unidos.

O governo equatoriano também suspendeu as aulas, os eventos com mais de 30 pessoas e as procissões da Semana Santa.