Equador supera 250.000 casos de coronavírus

·1 minuto de leitura
Caixão com o corpo de uma vítima do novo coronavírus é levado ao cemitério Jardines de La Esperanza, em Guayaquil, norte do Equador, 9 de abril de 2020

O Equador, um dos primeiros focos da pandemia na América Latina, ultrapassou 250 mil casos de coronavírus neste domingo(31), onze meses após o primeiro paciente positivo ser anunciado no país, segundo balanços oficiais.

O país andino registrou um aumento de 1.049 infecções nas últimas 24 horas e elevou o número total a 250.828, de acordo com o último relatório nacional sobre a covid-19.

A taxa de infecções começou a aumentar em dezembro quando reapareceram aumentos diários de quatro dígitos e houve picos acima de 3.000, como em 16 de janeiro com 3.942, 24 de janeiro com 3.060 e no dia 30, com 3.092.

A capital Quito, onde vivem 2,8 milhões de pessoas, é a cidade com maior número de casos com 80.919 positivos.

Em Guaiaquil, de 2,7 milhões de habitantes, onde são registrados 22.074 positivos, o Equador notificou o primeiro caso do novo coronavírus no país em 29 de fevereiro.

Esse porto se tornou uma das primeiras fontes de contágio na região e passou por uma situação crítica entre abril e maio, quando os hospitais ficaram saturados e os mortos permaneceram nas casas e nas ruas.

O teletrabalho está em vigor em todo o país para funcionários do setor público e é opcional para o setor privado, medida que vigorará até o dia 9 de fevereiro.

Na semana passada, um primeiro lote de 8.000 doses da vacina desenvolvida pela aliança EUA-Alemanha Pfizer / BioNTech chegou para imunizar profissionais de saúde da linha de frente, além de asilos.

O país, com 17,4 milhões de habitantes, que está na última semana de campanha antes das eleições presidenciais de 7 de fevereiro, também registra 14.859 mortes pelo coronavírus.

dsl/lda/jc