Equipe de Lula visita espaço que receberá transição de governo

Aloizio Mercadante, Gleisi Hoffmann e Geraldo Alckmin (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Aloizio Mercadante, Gleisi Hoffmann e Geraldo Alckmin (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, e o ex-senador Aloizio Mercadante visitaram, na manhã desta sexta-feira (4), o espaço que será utilizado em Brasília para abrigar a transição do governo Jair Bolsonaro (PL) para o governo Lula.

Uma parte do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) foi destinada pelo governo federal para receber os trabalhos, informou o portal g1. O espaço fica a sete quilômetros do Palácio do Planalto.

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin foi nomeado ainda na manhã de hoje como coordenador da transição. A nomeação foi publicada no DOU (Diário Oficial da União).

Coordenada por Alckmin, a equipe de transição do petista ficará trabalhando no CCBB em Brasília até a posse do novo governo, em 1º de janeiro de 2023.

De acordo com a legislação, o futuro governo tem direito a 50 cargos remunerados para a equipe de transição. Portanto, a expectativa é que os escolhidos sejam anunciados e nomeados a partir da próxima semana.

A equipe deve receber informações oficiais da administração pública e a partir daí preparar as medidas da nova gestão

O Tribunal de Contas da União (TCU) criou um comitê para acompanhar os atos da equipe de transição e o fornecimento de informações pelo atual governo.

O coordenador da transição, já afirmou que nomes do MDB e do PDT, que aderiram à candidatura de Lula no segundo turno, também devem fazer indicações para a equipe de transição. Ele não descartou a participação de nomes de partidos de centro.

Geraldo Alckmin esteve nesta quinta-feira (3) em Brasília para discutir com parlamentares como adequar o Orçamento da União de 2023 aos projetos de Lula.

O vice-presidente eleito, junto de Gleisi e Mercadante, também se reuniu com o atual ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Alckmin ainda teve um encontro rápido com Bolsonaro.