Equipe de transição teme que governo Bolsonaro omita dados de áreas estratégias

O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, comandará a equipe de transição de governo (Foto: REUTERS/Diego Vara)
O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, comandará a equipe de transição de governo (Foto: REUTERS/Diego Vara)
  • Equipe de transição de governo teme que informações não sejam repassadas em sua plenitude;

  • Lado de Lula precisa de dados precisos para entender como irá cumprir promessas de campanha;

  • Uma das áreas mais importantes é a econômica, já que medidas anunciadas exigirão aperto.

Ainda que a transição de governo esteja prevista para começar nesta quinta-feira (3), a equipe de Lula teme que o atual governo não repasse informações de áreas estratégicas com total transparência.

O receio está ligado ao fato de que o lado petista precisa dos dados com a maior precisão possível para entender como irá cumprir as promessas feitas durante a campanha do presidente eleito.

Uma das áreas que mais demanda dados em sua plenitude é a econômica. Isso porque Lula prometeu manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600, aumento real do salário mínimo e isenção do imposto de renda para quem recebe até R$ 5 mil. Essas três medidas exigem aperto e, por isso, as informações repassadas precisam ser as mais precisas.

Outra preocupação é com o quanto a Caixa Econômica Federal gastou com o consignado do Auxílio Brasil. A modalidade permitiu que o valor do empréstimo fosse descontado todo mês diretamente do benefício, com juros mais baixos.

Antes do segundo turno das eleições, o governo atual liberou esse empréstimo de forma descontrolada. O medo, nesse caso, é de que o comando da Caixa não seja transparente, conforme informações do blog do Noblat.

Geraldo Alckmin (PSB), vice-presidente eleito que comandará a transição de governo, chegou a Brasília (DF) na manhã de hoje para fazer uma reunião com Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, nesta tarde.

O político informou que a expectativa para o encontro é boa, mas não deu mais detalhes. Ele deve falar com a imprensa no final do dia.