Equipe de Luciano Hang sabia desde abril que Covid não constava no atestado de óbito da mãe do empresário

·2 minuto de leitura

O empresário Luciano Hang, dona da rede de lojas Havan, sabia, ao menos, desde 11 de abril, que a Covid-19 não constava no atestado de óbito de sua mãe, Regina Hang, de 82 anos. Ela morreu sete dias antes, no dia 4 de fevereiro, após complicações relacionadas ao coronavírus. Segundo o G1, a assessoria de Hang foi procurada pela GloboNews para questionar a ausência da Covid-19 na certidão de óbito.

Nesta quarta-feira, no entanto, Hang disse em depoimento na CPI da Covid que soube pela comissão que a Prevent Senior omitiu a Covid no atestado da mãe. O empresário negou ter pedido para omitir esse dado no documento e afirmou ter procurado a Prevent Senior para entender o ocorrido. Ele também confirmou que a mãe recebeu remédios do tratamento precoce, comprovadamente ineficazes no combate à doença, e apenas solicitou aos médicos que fizessem todo o possível por ela.

Omar Aziz leu trecho de reportagem do G1 segundo a qual a equipe de Hang sabia desde abril que o atestado não continua esse dado. O presidente da CPI também lembrou que Hang disse à CPI que não sabia disso. O empresário então deu outra versão.

— Não. Sabia. Quando eu perguntei ao Pedro [Pedro Benedito Batista Júnior, diretor da Prevent Senior] "no atestado não está marcado", ele disse: "é normal" — disse Hang.

Em abril, ao ser questionada pela GloboNews sobre qual o motivo da ausência de Covid na declaração de óbito, a assessoria de imprensa de Hang respondeu que quando Regina faleceu, ela já estava curada da Covid-19.

"A causa do óbito foram complicações de suas múltiplas comorbidades e uma infecção bacteriana. Quando ela faleceu, já havia sido curada", diz a resposta.

A reportagem da GloboNews conversou com Liliani Bento, que aparece na página da Havan como assessora de imprensa da empresa.

Hang exibiu na CPI um papel que, segundo ele, é um outro documento da Prevent Senior mostrando que ela entrou no hospital com Covid-19 e morreu com a doença. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), perguntou então se ele tinha também o atestado de óbito. Hang disse que não. Randolfe afirmou que o atestado não contém a informação da morte por Covid-19, ao contrário do documento exibido pelo empresário.

— Achei estranho de não estar no óbito, mas eu sou leigo. Segundo eles, quem preencheu o atestado de óbito foi o plantonista. No dia seguinte, existe uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, essa comissão viu o erro do plantonista.

Nesta quarta, o empresário disse aos parlamentares que a operadora de saúde forneceu um segundo documento. Segundo ele, esse segundo documento mencionava a Covid. Em seguida, o empresário afirmou ter sido informado pela Prevent Senior que houve um erro do médico plantonista que atendeu à mãe do empresário

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos