Equipes de ambulâncias do Samu não terão mais a função de declarar óbitos em SP

ARTUR RODRIGUES
***FOTO DE ARQUIVO*** MANAUS, AM, 22.04.2020 - Socorristas do Samu de Manaus (AM) retiram equipamento de proteção individual após atendimento de paciente com suspeita Covid-19 (coronavírus). (Foto: Fabiano Maisonnave/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As equipes de ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) deixarão de ter a função de fazer declarações de óbito, segundo informativo interno do órgão municipal.

Médicos do serviço reclamavam de ficarem sobrecarregados com esta função, o que fazia com que deixassem de atender casos de pacientes em situação de urgência.

O documento ao qual a Folha de S.Paulo teve acesso, assinado pela coordenadora do Samu, Maisa Ferreira dos Santos, datado de 28 de abril, afirma que após acordo com a Secretaria de Estado da Saúde ambulâncias de suporte avançado, as únicas com médicos, são usadas "exclusivamente para atendimento de urgência e emergência e colaboração nas transferência de pacientes com Covid-19".

Um decreto da Prefeitura de São Paulo, publicado na sexta-feira passada (24), autoriza médicos da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, das Forças Armadas e do Samu a lavrar declarações de óbito, de mortes não violentas, ocorridas na capital paulista fora de unidades de saúde.