Erasmo Carlos, 80 anos: ‘O corpo cobra os exageros cometidos durante a vida e você tem que pagar’

·1 minuto de leitura

RIO - Este sábado, Erasmo Carlos — “cabeça de homem mas o coração de menino”, nos versos do amigo e parceiro Roberto Carlos — completa 80 anos. Duas doses da vacina contra a Covid-19 correm em suas veias e o corpo se recupera de um câncer no fígado (na próxima quarta, ele faz o exame que dirá se está livre da doença). Nada pode abalar a felicidade do cantor e compositor, pai e avô, que, dado o distanciamento social necessário, comemorará o aniversário por Zoom, com filhos, noras e netos.

— Tem sempre um negocinho que chega e depois vai embora... nessa idade o corpo cobra os exageros cometidos durante a vida e você tem que pagar. E, como sou honesto, estou em dia com os pagamentos — assegura Erasmo, com a vivacidade de sempre, por telefone.

Trancado em casa na pandemia, Erasmo descobriu um novo prazer: criar playlists. “ERASMO CARLOS”, no perfil erasmocarlosbr do Spotify, conta com quase 700 músicas, algumas delas lançadas nos últimos anos.

— O que é bom, o que é diferente, o que tem batidas inéditas, tudo isso me fascina, não tenho preconceito — conta Erasmo. — Não sou saudosista, de chorar por causa da jovem guarda que era tão bonita... As músicas é que me fazem chorar, as harmonias e melodias me comovem muito, tomam conta de mim. A música, o orgasmo e Deus são as três melhores coisas da vida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos