Erasmo Carlos estava internado há 19 dias e voltou ao hospital um dia após receber alta

Erasmo Carlos estava internado no hospital Barra D'or, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, desde 3 de novembro. O cantor, que morreu nesta terça-feira (22), havia sido hospitalizado em outubro para tratar complicações derivadas de uma síndrome edemigênica, que ocorre quando há excesso de líquido nos tecidos do corpo. Ele recebeu alta em 2 de novembro, após 16 dias internado. No dia seguinte, porém, o artista precisou novamente voltar ao hospital.

Relembre: Morto em acidente de moto, filho mais velho de Erasmo Carlos deixou carta para o pai: 'Único para mim'

Autobiografia: Erasmo Carlos disse que brigou com Roberto apenas uma vez; saiba o motivo

Apesar de evitar falar de doenças — ele não gostava de falar sobre seu quadro clínico para não preocupar a família e os amigos —, Erasmo Carlos o artista precisou ser internado algumas vezes, nos últimos cinco anos, por diferentes tipos de problemas.

O mais recente ocorreu em outubro deste ano, quando o artista ficou 16 dias internado tratando a síndrome edemigênica. "Ressuscitei no Dia de Finados e tive alta do hospital! Obrigado a Deus, a todos que cuidaram de mim, rezaram por mim e se torceram pela minha recuperação", escreveu o cantor nas redes sociais, um dia antes de voltar a ser internado.

A síndrome que Erasmo tinha era caracterizada pelo excesso de líquido preso nos tecidos do corpo e pode ter diferentes causas, como o mal funcionamento dos rins, fígado ou coração. O termo vem de edema, que significa inchaço. Nesses casos específicos, o tratamento pode ser feito através do uso de medicamentos para remover o excesso de líquido.

Infecção pulmonar

Um pouco antes de se internar por conta da síndrome, o cantor foi diagnosticado com uma infecção pulmonar. Na ocasião, ele precisou ser internado também na UTI do hospital Barra D'Or, na Barra da Tijuca.

A infecção pulmonar, também chamada de infecção respiratória baixa, ocorre quando algum tipo de fungo, vírus ou bactéria se multiplica nos pulmões, causando inflamação e levando ao aparecimento de alguns sintomas como febre, tosse, catarro e dificuldade para respirar.

Dependendo do local afetado no pulmão e dos sintomas apresentados, a infecção pulmonar pode ser dividida em vários tipos. As mais comuns são a pneumonia, a bronquite e a bronquiolite.

O quadro de saúde de Erasmo o levou a adiar dois shows que realizaria no início de novembro em Orlando e Miami, ambos nos Estados Unidos, como informou por meio de suas redes sociais.

Covid-19 e câncer no fígado

Discreto, Erasmo Carlos evitava deixar fãs e amigos preocupados com o seu estado de saúde. E, por isso, decidiu enfrentar todo o processo contra um câncer no fígado por trás das câmeras. Ele só revelou que lutava contra a doença depois de quatro anos, quando o câncer já estava em remissão.

Em agosto do ano passado, Erasmo precisou ser internado às pressas por contrair o coronavírus. Ele havia tomado duas doses da vacina e, segundo nota divulgada em suas redes sociais, ele disse que estava tomando todos os cuidados e seguindo as recomendações médicas.

Apesar de se sentir bem, a família achou melhor interná-lo por "precaução". "Peço para que todos torçam para passar rápido", afirmou o cantor à época em uma postagem em suas redes sociais.

Em entrevista ao EXTRA, o cantor contou que o câncer foi descoberto por acaso durante um exame de pedra no rim. "Fiz um procedimento chamado ablação, mas o câncer voltou depois. Então repetimos este tratamento e esta segunda vez foi arrasadora. Anuncio agora, porque estou bom. Não gosto de tristeza na minha vida", disse, à época.