Erdogan diz que a Turquia atacará militantes curdos com tanques e soldados

Presidente turco, Tayyip Erdogan

Por Huseyin Hayatsever e Daren Butler

ANCARA (Reuters) - A Turquia atacará militantes com tanques e soldados em breve, disse o presidente Tayyip Erdogan nesta terça-feira, sinalizando uma possível ofensiva terrestre contra uma milícia curda na Síria depois que ataques de retaliação aumentaram ao longo da fronteira síria.

Seus comentários foram feitos enquanto a artilharia turca mantinha o bombardeio de bases curdas e outros alvos perto das cidades sírias de Tal Rifaat e Kobani, disseram duas fontes militares sírias à Reuters.

"Estamos atacando os terroristas há alguns dias com nossos aviões, canhões e armas", disse Erdogan em um discurso no nordeste da Turquia. "Se Deus quiser, vamos erradicar todos eles o mais rápido possível, junto com nossos tanques, nossos soldados."

Ele disse anteriormente que as operações não se limitariam a uma campanha aérea e poderiam envolver forças terrestres. A Turquia montou várias operações militares importantes contra a milícia síria curda YPG e militantes do Estado Islâmico no norte da Síria nos últimos anos.

Na segunda-feira, a Turquia disse que a YPG matou duas pessoas em ataques com morteiros disparados do norte da Síria, após operações aéreas turcas contra a milícia no fim de semana e um ataque mortal a bomba em Istambul uma semana antes.

As Forças Democráticas Sírias (FDS), lideradas pela YPG, disseram que 15 civis e combatentes foram mortos em ataques turcos nos últimos dias.

O ministro da Defesa turco, Hulusi Akar, prometeu manter as operações contra os militantes, renovando os apelos para que Washington, aliado da Otan, pare de apoiar as forças curdas sírias que Ancara chama de ala do proscrito Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

(Reportagem de Suleiman Al-Khalidi em Amã, em Washington, Ece Toksabay em Ancara)