Erdogan quer acordo dos cereais ucranianos ativo

O presidente da Turquia quer que a Rússia retome o acordo de exportação de cereais da Ucrânia.

Recep Tayyip Erdogan falou já com o homólogo russo.

O Kremlin fez saber que na conversa entre os dois líderes, Vladimir Putin exigiu "garantias reais" de que Kiev vai respeitar os acordos de Istambul, em particular que o corredor humanitário não será usado para fins militares".

O presidente turco comprometeu-se a falar com o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, de modo a fazer com os navios carregados com cereais não parem de fluir pelo Bósforo.

A Rússia suspendeu, no sábado, o pacto firmado em junho sob a égide das Nações Unidas, após o que disse ter sido um ataque das forças ucranianas contra a sua frota em Sevastobol.

Moscovo alegou que o ataque foi perpetrado a partir do corredor seguro dos cereais, no Mar Negro, uma informação negada tanto por Kiev como pela ONU.

As autoridades ucranianas acusaram a Rússia de estar a tentar chantagear o mundo com a fome, pois o fim do acordo atinge, sobretudo os países mais pobres.

Entretanto, mais de duas centenas de navios carregados de cereais estão nos portos ucranianos prontos para partir. Esta terça-feira, partiram três, rumo a Istambul. Segunda-feira, 12 saíram dos portos da Ucrânia e estão a aproximar-se da costa da Turquia, carregados de cereais.

O Kremlin avisou que é "arriscado" e até mesmo "perigoso" manter a circulação dos navios sem a participação da Rússia.