Erdogan sinaliza data de 14 de maio para seu maior teste eleitoral

Presidente da Turquia, Tayyip Erdogan

ANCARA (Reuters) - O presidente Tayyip Erdogan sinalizou nesta quarta-feira que a Turquia realizará eleições em 14 de maio, um mês antes do que ele havia indicado anteriormente, estabelecendo o tempo para possivelmente a votação mais importante na história centenária da república.

Pesquisas mostram que as eleições parlamentares e presidenciais serão acirradas e marcam o maior teste de Erdogan em suas duas décadas no comando da potência militar regional, membro da Otan e importante economia de mercado emergente.

Com uma aliança de oposição prometendo reverter as políticas econômicas pouco ortodoxas do presidente, a votação também decidirá como a Turquia é governada e que papel ela pode desempenhar para aliviar os conflitos na Ucrânia e no Oriente Médio.

Dirigindo-se a parlamentares de seu Partido AK (AKP), de raízes islâmicas, no Parlamento, Erdogan disse que os turcos rejeitarão a oposição nas urnas na mesma data em que as eleições foram realizadas em 1950.

"Nossa nação dirá 'basta' a esses apreciadores do golpe, esta ambiciosa mas incompetente Mesa dos Seis, no mesmo dia após 73 anos", disse Erdogan sobre a aliança de seis partidos que busca derrubá-lo.

Nas eleições realizadas em 14 de maio de 1950, o Partido Democrata venceu o Partido Republicano do Povo (CHP), que governou a Turquia por 27 anos desde sua fundação --e que é o maior partido da atual aliança de oposição.

No ano passado, Erdogan repetiu que a eleição seria realizada em junho, mas no início deste mês ele disse que a data poderia ser antecipada.

(Reportagem de Nevzat Devranoglu, Ali Kucukgocmen e Huseyin Hayatsever)