Erdogan visitará Arábia Saudita em fevereiro

·1 min de leitura
O presidente turco Recep Tayyip Erdogan fala para anunciar que o salário mínimo líquido será aumentado em 50 por cento a partir do próximo ano, no Complexo Presidencial em Ancara, Turquia, em 16 de dezembro de 2021 (AFP/Adem ALTAN)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou, nesta segunda-feira (3), que viajará à Arábia Saudita em fevereiro, em sua primeira visita ao país desde o assassinato em 2018 do jornalista saudita Jamal Khashoggi em Istambul.

"Ele me espera em fevereiro. Ele prometeu. Farei uma visita em fevereiro à Arábia Saudita", disse o chefe de Estado turco em referência ao príncipe herdeiro saudita Mohamed Bin Salman, chamado pela sigla MBS, respondendo a uma pergunta de um jornalista sobre as relações comerciais entre Ancara e Riade.

A visita será a primeira do presidente turco desde o assassinato do jornalista árabe Jamal Khashoggi na embaixada saudita em Istambul por um comando ligado ao reino. Na época, Erdogan acusou o "governo saudita do mais alto nível" de ordenar o assassinato, mas excluiu incluir o rei.

As relações entre Ancara e Riade pioraram em 2017 durante o bloqueio do Catar, um aliado próximo da Turquia, decretado pela Arábia Saudita e posteriormente implementado também pelos Emirados Árabes Unidos.

O presidente turco multiplicou nos últimos meses as iniciativas para reatar os laços com os países da região. Em dezembro, Erdogan disse que queria desenvolver as relações de Ancara com os países do Golfo, "sem distinção".

Em novembro, recebeu o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohammed bin Zayed Al-Nahyane (MBZ) em Ancara, antes de ir a Doha no início de dezembro para uma visita de dois dias, abrindo um novo capítulo nas relações entre ex-rivais.

bg/ach/sag/pc/gf

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos