Erika Januza fala dos dez anos de carreira e detalha reforma de casa de dois andares com piscina: 'Participando intensamente'. Veja fotos

Há dez anos a vida de Erika Januza mudou completamente. Ela, que trabalhava como secretária de uma escola em Minas Gerais e tentava uma oportunidade na carreira de modelo, acabou aprovada para o papel principal da série “Suburbia”, da Globo. De lá para cá, fez diversos trabalhos na televisão:

— Não foi fácil. Até então, eu estava acostumada a ter um trabalho com carteira assinada, tudo planejado. De repente, mudei para uma profissão que, entre um trabalho e outro, você fica desempregada. Isso me angustiava demais. E por muito tempo eu tinha muito bloqueio de pedir trabalho, de ser chata. Com o tempo, acabei apreendendo. Do mesmo jeito que alguém escreve algo, alguém precisa interpretar. Faz parte do processo.

Natuza Nery: jornalista mostra a sua casa e revela talento além do jornalismo. Veja fotos

Luiz Fernando Guimarães: ator mostra sítio onde vive com a família no Rio e explica detalhes da casa; fotos

Durante esta década como atriz, Erika diz que, em certo momento, achou que teria que abandonar tudo e voltar para Minas;

— Em 2016, eu estava já há algum tempo sem trabalho. O meu dinheiro estava quase no fim. Eu achei que teria que desistir e voltar a viver com minha família em Minas. Então veio o convite para fazer a novela “Sol nascente”, que praticamente salvou a minha carreira — lembra ela, que depois teve um papel de destaque em “O outro lado do paraíso” e também foi escalada para a série “Arcanjo renegado”.

Ao mesmo tempo que comemora a primeira década de carreira como atriz, Erika realiza um grande sonho pessoal. Ela comprou sua primeira casa própria no Rio e está fazendo uma grande reforma no imóvel, que tem piscina e quintal (veja fotos abaixo).

— Comecei a obra em março e ainda não está nem na fase de acabamento. Tem muita coisa para fazer. Algo que eu fiz questão de ter é um estúdio onde possa fazer minhas fotos e criar conteúdo. Por enquanto, estou ocupando uma parte da casa enquanto a obra ocorre na outra. Mas está ficando inviável. Daqui a pouco, vou ter que sair até que o projeto seja concluído.

Ela diz que acompanha tudo bem de perto:

— Tenho arquitetos ótimos, que escutam tudo o que eu falo e conseguem traduzir isso no projeto. Também estou participando intensamente de cada etapa. Fico lá e coloco a mão na massa.