Erisipela: o que é a doença que Bolsonaro suspeita ter, segundo aliados

Bolsonaro confidenciou a aliados que está com várias feridas nas pernas (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Bolsonaro confidenciou a aliados que está com várias feridas nas pernas (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Recluso desde a derrota nas urnas, Bolsonaro pode estar enfrentando problemas de saúde;

  • A suspeita dos médicos é de que o mandatário tem erisipela;

  • A doença é provocada por uma bactéria que afeta, na maioria das vezes, a pele das pernas.

Sumido desde a derrota nas urnas, o presidente Jair Bolsonaro (PL) pode estar enfrentando novos problemas de saúde. Conforme confidenciou aos seus aliados, o mandatário se queixa de várias feridas na perna. A suspeita dos médicos é de erisipela, um processo infeccioso na pele que pode atingir a gordura do tecido celular.

A doença é provocada por uma bactéria que penetra na pele, geralmente por meio de uma micose entre os dedos - a famosa frieira – ou qualquer outro tipo de corte ou ferida. A partir daí, provoca infecções que afetam os vasos linfáticos.

O problema costuma afetar com mais frequência os membros inferiores, especialmente na região acima dos tornozelos, mas nada impede que apareça também na face, braços e abdômen.

Sintomas da erisipela

Geralmente, a pele apresenta:

  • Vermelhidão

  • Dor

  • Inchaço

  • Quentura

  • Posteriormente, há formação de bolhas e feridas por necrose (morte das células) da pele.

O paciente também pode ter sintomas comuns em qualquer infecção, como calafrios, febre alta, fraqueza, dor de cabeça, mal-estar, náuseas e vômitos.

Há risco de complicações?

Se a erisipela for tratada assim que aparecer, é possível evitar casos mais graves. Mas se houver demora para iniciar o tratamento, pode progredir com abscessos, ulcerações (feridas) superficiais ou profundas e trombose de veias.

Como funciona o tratamento?

É feito com o uso de antibióticos. Em casos leves, os remédios são administrados em casa, na forma de comprimidos. Em casos graves, o paciente é internado no hospital para tomá-los diretamente na veia.

Também é indicado repousar, manter a área infectada limpa, deixar o membro elevado algumas vezes ao dia e tratar as lesões. Medicações de apoio para diminuir a febre, dor ou inflamação são recomendadas.

É possível prevenir a erisipela?

Quem quiser fugir da doença deve manter os espaços entre os dedos sempre limpos e secos e consultar dermatologistas para tratar adequadamente micoses interdigitais e de unhas.

Cortes acidentais devem ser lavados com água e sabão e enxugados com uma toalha em seguida.

Caso note algum sinal de erisipela, consulte um médico clínico ou cirurgião vascular para realizar uma avaliação e iniciar o tratamento.