Ernesto afirma que não houve política de enfrentamento com a China e nem alinhamento com EUA

·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 18.05.2021: CPI-COVID-DF - O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo chega para prestar depoimento CPI da Covid no Senado. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 18.05.2021: CPI-COVID-DF - O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo chega para prestar depoimento CPI da Covid no Senado. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em depoimento à CPI da Covid, o ex-chanceler Ernesto Araújo negou que sua gestão priorizou um alinhamento com os Estados Unidos.

Ernesto afirmou que apenas houve uma reaproximação com os americanos, após um período de distanciamento dos governos anteriores.

O ex-chanceler também afirmou que não houve enfrentamento com a China.

"Jamais promovi nenhum atrito com a china, seja antes ou durante a pandemia", afirmou, quando questionado se sua gestão supostamente confrontadora com o país asiático prejudicou a aquisição de vacinas.

"Os resultados que obtivemos na aquisição de vacinas eles decorrem de acordo com uma política externa que foi implementada de acordo com nossos objetivos", completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos