Erro no Enem: Em documento, Inep relata falhas em duas etapas do processo

Paula Ferreira e Renata Mariz

BRASÍLIA - Os erros nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram causados por falhas em pelo menos duas etapas do processo de produção das provas, envolvendo "instabilidade" em sensor específico. O GLOBO teve acesso a um documento enviado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do Enem, à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão do Ministério Público Federal (MPF), com as explicações da gráfica Valid Soluções S.A.

Segundo a explicação, o processo prevê uma "verificação redundante", ou seja, a associação da prova com o gabarito deveria ser conferida uma segunda vez, o que também não funcionou. Quando o caderno de provas e o cartão de respostas são associados de forma errada, o desvio é sinalizado para ser corrigido em outro sistema de conferência, chamado de "célula de reprocesso", o que não aconteceu.

"Pordecorrência estas provas não foram encaminhadas à célula de reprocesso para seu respectivotratamento. A verificação e o tratamento na linha de reprocesso destinavam-se a impedir possível erro deassociação, o que pode ter sido afetado pela ausência de desvio após a identificação do desvio.A Consequência desta falha não nos permite assegurar a correta associação, o que deveriaser verificado e tratado na linha de reprocesso", destacou a Valid.

Um outro ponto assinalado pela gráfica foi a "instabilidade em um sensor específico de disparo de leituras dos cadernos de prova". De acordo com a empresa, essa instabilidade foi verificada "especificamente no segundo dia de aplicação" e pode ser constatada após o Inep acionar a gráfica.

"Com base nas evidências apresentadas pelo INEP, simulamos o processo e conseguimos reproduzir a situação e consequentemente elaborar ferramenta para pesquisar a base de inscritos suspeitos de inconsistência na associação com o gabarito personalizado", destaca o documento.

O Inep recebeu 172 mil e-mails relatando erros no resultado do Enem. O Instituto informou que 5.974 candidatos foram afetados com o erro nas notas e já tiveram as médias recalculadas. Segundo o órgão, todas as 3,9 milhões de provas da última edição do exame foram conferidas.