Erupção vulcânica na República Democrática do Congo força evacuação de cidade com 2 milhões de habitantes

·2 minuto de leitura

GOMA, RDC — Um vulcão entrou em erupção neste sábado nos arredores de Goma, no Leste da República Democrática do Congo. O governo ordenou a evacuação da cidade de quase 2 milhões de habitantes e pelo menos cinco pessoas morreram em acidentes durante a fuga, enquanto um rio de lava descia da cratera do Monte Nyiragongo em direção à cidade. Goma, no entanto, foi "salva", segundo anúncio do governo, após a lava ter parado nos subúrbios a nordeste da cidade durante a madrugada.

— As pessoas estão indo para casa aos poucos, a situação está bem tranquila no momento — disse um morador.

De acordo com a Reuters, a lava não chegou ao aeroporto regional, e milhares de pessoas deixaram suas casas com os pertences que conseguiam carregar em direção à fronteira com Ruanda. Entre 5 mil e 7 mil pessoas cruzaram para o país vizinho, segundo a emissora pública Rwanda Broadcasting Agency (RBA).

Uma rodovia que liga Goma a Beni, outra cidade na província de Kivu do Norte, também teria sido atingida pela lava.

O general Constant Ndima, que chefia a província de Kivu do Norte, disse que há um "número provisório" de cinco mortos em acidentes durante a evacuação.

— Houve vários roubos em lojas e uma tentativa de fuga de presos [na cadeia de Goma], mas a situação está sob controle — afirmou Ndima, acrescentando que "várias casas foram devastadas pelas lavas" nos arredores de Buhene.

A última erupção do vulcão, um dos mais ativos do planeta, ocorreu em 2002, deixando cerca de 250 mortos e 120 mil desabrigados. Na época, cerca de 20% da cidade foi destruída, incluindo pistas do aeroporto.

— Há muita gente na estrada, muitos carros — descreveu à AFP um morador, que levava a família de carro para a região de Sake enquanto evacuava. — Tem crianças, mulheres e idosos que vão caminhando, e com a chuva é complicado.

Uma fonte da ONU disse que um avião da organização foi deslocado para ajudar na evacuação nas cidades de Bukavu, no Sul, e Entebbe, na vizinha Uganda. De acordo com a Reuters, o fornecimento de energia elétrica foi interrompido em boa parte de Goma e as linhas telefônicas ficaram ocupadas.

Na capital Kinshasa, o primeiro-ministro Jean-Michel Sama Lukonde convocou uma reunião de emergência, onde decidiu-se pela evacuação da cidade.

Há semanas, observadores alertavam que a atividade vulcânica no Nyiragongo era similar a vista nas erupções de 1977 e 2002. Os vulcanólogos do Observatório Vulcânico de Goma, contudo, vêm tendo dificuldade de fazer vistorias básicas com regularidade desde que o Banco Mundial cortou o financiamento, em meio a escândalos de fraude.

Em um boletim divulgado no último dia 10, o observatório disse que havia constatado um aumento da atividade sísmica na região no início do mês. A região de Goma é lar de seis vulcões ativos, todos eles com mais de 3 mil metros de altitude.