Escassez de leite para bebês desata ofensiva política contra Biden nos EUA

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Prateleiras de leite em pó infantil quase vazias em loja de Washington, Estados Unidos, em 11 de maio de 2022 (AFP/Stefani Reynolds) (Stefani Reynolds)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Casa Branca prometeu, nesta quinta-feira (12), medidas para fazer frente à escassez severa de leite para bebês nos Estados Unidos, um problema que suscitou uma ofensiva política da oposição republicana contra o presidente Joe Biden.

Segundo a plataforma de dados sobre consumo Datasembly, o índice de desabastecimento de leite em pó para bebês chegou a 43% no fim da semana passada.

O governo americano afirmou em nota que está estudando, entre outras coisas, aumentar as importações do produto, apesar de o país produzir 98% das fórmulas para lactantes que consome.

A administração de Joe Biden também indicou que está trabalhando com os estados para aliviar a carga administrativa das famílias mais desfavorecidas, que compram o leite em pó para bebê através do auxílio-alimentação fornecido pelo governo.

Além disso, a Casa Branca assinalou que havia pedido à autoridade federal de concorrência que avaliasse os abusos associados à escassez, entre eles a revenda de leite em pó on-line a preços muito superiores que os habituais.

Biden se reuniu hoje com representantes do comércio varejista e produtores de leite para bebês, informou a Casa Branca. De acordo com uma funcionária do governo, que pediu anonimato, as conversas foram classificadas de "produtivas e animadoras".

Contudo, a fonte não quis esclarecer quanto tempo levaria para melhorar a situação.

A oposição republicana, com vistas à campanha para as eleições legislativas de novembro, aproveitou o tema para fazer críticas ao governo.

A congressista Elise Stefanik assegurou, em entrevista coletiva, que fez contato com a autoridade correspondente, a agência reguladora de alimentos e medicamentos (FDA, na sigla em inglês), em fevereiro: "Joe Biden não tem nenhum plano. [...] Quando questionamos a Casa Branca sobre a escassez, eles riram. É vergonhoso", assinalou.

"O Missouri é um dos seis estados dos Estados Unidos onde mais da metade do leite para bebês está esgotada", afirmou outra legisladora republicana, Ann Wagner, ao acrescentar que mães jovens estão pechinchando no Facebook para conseguir o produto.

Randy Feenstra, representante de Iowa, assegurou que, em sua região, "as famílias percorrem 50, 75, até 100 milhas [de 80 a 160 quilômetros] para tentar encontrar" a fórmula de leite infantil.

Em 17 de fevereiro, depois da morte de dois bebês, a farmacêutica Abbott anunciou a "retirada voluntária" da produção de leite em pó de sua fábrica em Michigan.

Uma investigação oficial determinou que o produto não tinha relação com as mortes, mas sua produção ainda não foi retomada, agravando uma escassez provocada essencialmente por problemas na cadeia de suprimentos e pela falta de mão de obra.

A situação é particularmente crítica para os bebês que dependem de uma fórmula especial, que só é fabricada pela Abbott, frisou a Casa Branca, acrescentando que são 5.000 bebês nessa condição, além de crianças e adultos com doenças metabólicas raras.

aue/led/dg/ll/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos