Escola de Niterói inclui a disciplina direitos humanos no currículo

·1 min de leitura

NITERÓI— Integrante do Programa de Escolas Associadas à Unesco há 22 anos, o Instituto GayLussac incluiu, este ano, a disciplina direitos humanos e salvaguarda no currículo do 6º ao 9º ano. A direção diz que o objetivo é promover valores para um mundo justo, pacífico, inclusivo e sustentável.

Em setembro, os alunos do 6º ano, que estudam temas como xenofobia e racismo, tiveram a oportunidade de conversar on-line com Mariama Bah, refugiada da Gâmbia. Ficaram chocados com o fato de ela precisar fugir para ter o direito a estudar.

Pelas ações voltadas ao debate sobre direitos, a escola foi premiada este ano. A diretora-geral, Luiza Sassi, recebeu o Prêmio Vereador Renatinho de Direitos Humanos, na categoria Educação; e a inclusão da Política Antirracista no Código de Conduta da instituição garantiu o 1º lugar no Persona Premia de Ciências Humanas e Sociais.

— Desenvolver uma sociedade antirracista é necessário e urgente — destaca Luiza.

Já a Secretaria municipal de Direitos Humanos concederá, na quarta-feira, o Prêmio de Direitos Humanos pelo apoio às causas sociais.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos