Escolas investem em vivência bilíngue para alunos ficarem fluentes no inglês

·2 min de leitura

RIO - Não basta ter aulas de língua inglesa, é preciso falar inglês dentro da escola para treinar os conhecimentos do idioma. Cada vez mais, os colégios estão se reinventando para que os estudantes fiquem fluentes no idioma. O pH e o Mopi, com unidades na Tijuca, estão em sintonia com esta tendência.

O projeto Vivência Bilíngue será colocado em prática, em 2022, nas turmas do ensino fundamental 1 do colégio pH. No período em que os alunos, do 1º ao 5º ano, estiverem participando das disciplinas de educação física e artes ou desenvolvendo atividades no Laboratório Maker — espaço destinado a atividades de programação, robótica e marcenaria —, a língua portuguesa deverá ser deixada de lado.

Gestor de língua estrangeira e internacionalização do pH, Leandro Tôrres explica a novidade a ser implementada no ano que vem.

— As aulas regulares de língua inglesa trabalham gramática e toda a estrutura do idioma em si, mas entendemos a necessidade de ir mais além. Então, a Vivência Bilíngue proporciona a aquisição do idioma de uma forma mais fluida, natural, de certa forma do mesmo jeito que aprendemos a nossa língua materna. Nas disciplinas em que a Vivência Bilíngue será ministrada, o estudante vai usar o inglês como instrumento de comunicação. Por exemplo: a partir do momento em que o aluno entrar em quadra, na sala de artes ou no Laboratório Maker, os diálogos deverão ser exclusivamente em inglês, seja com o colega ou com o professor. Os professores estão capacitados para ministrarem as aulas na língua inglesa e a incentivarem que os alunos pratiquem a oralidade do idioma durante todo o período em que estiverem fazendo as atividades inseridas neste novo projeto. Estou convicto de que os resultados logo serão observados — diz.

No Horário Smart do Mopi, alunos do maternal 2 ao fundamental 2 fazem uma imersão em inglês enquanto participam de projetos como criação de jogos, robótica, programação, comunicação em grupo, escrita criativa, produção de vídeos, trabalhos manuais, ioga e atividades esportivas. O idioma é usado inclusive na hora do almoço. Todas as atividades são guiadas pelos professores da instituição de ensino com a assessoria da Troika (consultoria em educação), que trabalham o inglês em todo o processo de execução das aulas.

Coordenador do programa de inglês do colégio Mopi, Cicinato Carmo detalha como funciona o projeto que une diversão e desenvolvimento da fluência na língua inglesa:

— O Horário Smart tem como objetivo promover a autonomia do aluno, colocando em prática as competências e habilidades do século XXI.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos