Escolas particulares de Niterói retomam atividades presenciais

Giovanni Mourão
·4 minuto de leitura
Divulgação / Colégio Miraflores

NITERÓI — Em seu quinto dia à frente do governo, o prefeito Axel Grael publicou decreto restringindo o horário de funcionamento de bares. Ao mesmo tempo, o município autorizou que unidades privadas de educação infantil e do primeiro nível do ensino fundamental ofereçam atividades lúdicas presenciais de caráter não obrigatório aos seus alunos. As novidades ocorrem em meio a uma gangorra nos números da pandemia na cidade: pela sexta semana seguida, Niterói bateu recorde de novos de casos de Covid-19, mas as internações caíram. Dados da Secretaria municipal de Saúde (SMS) apontam que 1.246 pessoas foram diagnosticadas com a doença entre 24 e 30 de dezembro, uma média de 178 infecções por dia. Paralelamente, caiu o número de leitos de UTI ocupados: eram 283 pacientes internados no dia 30, contra 307 de 14 dias antes, o que resultou numa queda de 71,5% para 61,5% na taxa de ocupação hospitalar.

A flexibilização vale apenas para atividades pedagógicas complementares, e o retorno das atividades escolares obrigatórias presenciais ainda está sendo avaliado pelo gabinete de crise, diz a SMS. Na justificativa da decisão, a pasta explica que o espaço escolar tem papel fundamental na vida das crianças e dos adolescentes, não apenas em sua função pedagógica, mas “na garantia da saúde física e mental das crianças, desempenhando papel importante nas interações sociais, na criação de vínculos afetivos, no desenvolvimento infantil e sobretudo na proteção social das crianças mais vulneráveis”.

Demanda do setor

Segundo o presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Estado do Rio (Sinepe-RJ), Luiz Mansur, a flexibilização foi uma resposta a uma demanda feita no fim de 2020 pelas escolas, “que passam por uma fase difícil, principalmente as de educação infantil”.

— Explicamos que as escolas precisavam ter algum tipo de atividade, mesmo que não fossem aulas formais. Então, na última semana de dezembro, as secretarias de Saúde e de Educação enviaram um ofício ao Sinepe autorizando que este período de paralisação das aulas fosse usado para realização de atividades recreativas, mas com uma série de considerações— diz Mansur. — As escolas estão promovendo jogos recreativos e atividades lúdicas por curtos períodos, respeitando um número máximo preestabelecido de alunos e cumprindo todas as normas sanitárias. Também fomos orientados a não partilhar objetos e não servir refeições: a criança tem que trazer tudo de casa.

A SMS afirma que criou protocolos e ações específicas para a retomada das atividades escolares presenciais, além de ações conjuntas entre os setores de Educação e Saúde. O município também conta com um sistema intersetorial de vigilância escolar estabelecendo um fluxo específico para monitoramento e detecção de casos de Covid-19.

O Colégio Miraflores, em Icaraí, foi um dos que aderiram à novidade. Desde quinta-feira, a escola passou a oferecer atividades lúdicas, criativas e recreativas às crianças, conta a coordenadora-geral, Lígia Serôdio.

— Os professores planejaram o que as crianças gostam: brinquedos e brincadeiras tradicionais, histórias, jogos lógicos, cantoria, culinária, dramatização, escavação e até lançamento de foguete. A adesão foi grande e, respeitando os protocolos sanitários, os alunos foram distribuídos em pequenos grupos. Temos grande espaço externo, com árvores, horta, jardim, pomar e muita terra e areia — diz.

As escolas são obrigadas a manter um distanciamento de pelo menos um metro e meio entre alunos, professores e demais funcionários. Todos devem estar sempre de máscaras e trocá-las a cada duas horas. É obrigatória a medição de temperatura na entrada das unidades de ensino, além da existência de tapetes sanitizantes e da disponibilização de álcool em gel em pontos estratégicos.

A presença de agentes de desaglomeração também é exigida, e em locais fechados portas e janelas devem ficar sempre abertas. Funcionários com mais de 60 anos ou com comorbidades devem seguir afastados.

As aulas na rede municipal continuam suspensas: a prefeitura diz que a manutenção da medida será reavaliada por um grupo de trabalho que ainda será criado.

Bares: horário reduzido

Por meio de decreto publicado no Diário Oficial de terça-feira, a prefeitura intensificou e prorrogou até o dia 28 de fevereiro as normas restritivas de distanciamento social. Bares e restaurantes agora são obrigados a fechar à meia-noite. Antes, podiam funcionar até as 2h.

Até quinta-feira, Niterói somava 24.153 casos de Covid-19, que resultaram em 649 mortes. A taxa de mortalidade da doença no município é de 2,7%.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)