Escolha do júri de julgamento de caso Floyd continua em Mineápolis

Jonathan Allen
·1 minuto de leitura
Manifestante segura cartaz com imagem de George Floyd em Nova York

Por Jonathan Allen

(Reuters) - A escolha do júri do julgamento da acusação de assassinato contra Derek Chauvin, ex-policial da cidade norte-americana de Mineápolis acusado de matar George Floyd no ano passado durante uma prisão violenta que provocou protestos nacionais contra o racismo, deve continuar nesta segunda-feira.

Doze jurados e um substituto já foram selecionados desde que o julgamento começou, duas semanas atrás: cinco mulheres brancas, dois homens brancos, três homens negros, uma mulher negra e duas mulheres multirraciais, de acordo com registros judiciais.

Peter Cahill, juiz distrital do condado de Hennepin, disse que quer encontrar mais dois substitutos antes dos argumentos iniciais, que estão agendados para começar em 29 de março.

Um vídeo gravado por uma testemunha mostrou Chauvin, que é branco, ajoelhado sobre o pescoço de Floyd, um negro de 46 anos, enquanto este implora pela vida durante a prisão feita em 25 de maio de 2020.

Cahill e os advogados do caso já entrevistaram mais de 60 jurados em potencial no tribunal para avaliar sua imparcialidade enquanto Chauvin fazia longas anotações.

Todos os jurados em potencial preencheram um questionário atipicamente detalhado de 16 páginas no ano passado, respondendo sobre seu conhecimento da prisão e suas opiniões sobre Chauvin, o policiamento, a mídia e o movimento por justiça racial Black Lives Matter.

Chauvin se declarou inocente das acusações. Ele pode receber uma pena de até 40 anos de prisão se for condenado pela acusação mais grave.