Esconderijo de traficantes com US$ 2,3 milhões em dinheiro é encontrado na Colômbia

·1 minuto de leitura
s autoridades colombianas apreenderam o equivalente a 2,3 milhões de dólares em dinheiro pertencentes a traficantes de drogas ligados a dissidentes das FARC que se marginalizaram do processo de paz
s autoridades colombianas apreenderam o equivalente a 2,3 milhões de dólares em dinheiro pertencentes a traficantes de drogas ligados a dissidentes das FARC que se marginalizaram do processo de paz

As autoridades colombianas apreenderam o equivalente a 2,3 milhões de dólares em dinheiro pertencentes a traficantes de drogas ligados a dissidentes das FARC que se marginalizaram do processo de paz, informou a promotoria nesta quinta-feira (12).

O dinheiro foi encontrado em caixas e em "dois prédios" localizados ao norte da cidade de Cali (sudoeste), onde residia o "suposto líder Lucio Burbano Portilla", acusado de enviar cocaína a Honduras, Guatemala, México e Estados Unidos, informou em comunicado o órgão responsável pela investigação.

Dez pessoas foram capturadas na operação e serão investigadas por supostas ligações com uma dissidência da ex-guerrilha das FARC conhecida como Óliver Sinisterra, acusada, entre outros, do assassinato de três membros de uma equipe jornalística equatoriana em 2018.

O grupo também é responsável pelo assassinato de seis jovens em 22 de agosto, em uma área rural do município de Tumaco, na fronteira com o Equador, segundo autoridades.

“Foram apreendidos pouco mais de 8.5 bilhões de pesos em dinheiro (2,3 milhões de dólares), 3.700 dólares, 11 relógios de luxo, armas de fogo, documentos com informações privilegiadas sobre atividades judiciais e de força pública”, afirmou a promotoria no boletim.

Os detidos devem responder pelos crimes de “formação de quadrilha para cometer crime, tráfico, fabricação ou posse de drogas e lavagem de dinheiro”.

Cerca de 2.300 combatentes distribuídos em diversos grupos constituem os chamados dissidentes das FARC, que se afastaram do histórico acordo de paz de 2016 e se dedicam principalmente ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, segundo a inteligência militar.

A Colômbia é o maior produtor mundial de cocaína e os Estados Unidos são o seu maior consumidor.

lv/vel/gm/am