Escritor Jeffrey Toobin é suspenso após se masturbar em chamada de vídeo, diz revista

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Lawyer and author Jeffrey Toobin attends the 2018 PEN Literary Gala at the American Museum of Natural History on Tuesday, May 22, 2018, in New York. (Photo by Evan Agostini/Invision/AP)
Autor Jeffrey Toobin em evento literário em Nova York (Foto: Evan Agostini/Invision/AP)

O autor e comentarista Jeffrey Toobin foi suspenso pela revista norte-americana New Yorker após se expor sexualmente durante uma reunião virtual de equipe pela plataforma Zoom. De acordo com a revista Vice, a reunião era uma simulação para a cobertura das eleições presidenciais dos Estados Unidos.

Durante o encontro, que simulava um cenário político com republicanos, democratas, apoiadores e representantes de tribunais, houve uma pausa de 10 minutos. Foi neste momento que dois funcionários perceberam que o escritor estava participando de outra chamada de vídeo, em que se exibia sexualmente.

De acordo com a Vice, dois funcionários que participavam da reunião alegam ter flagrado Toobin se masturbando em frente à câmera.

Após o episódio, Toobin foi suspenso temporariamente. Ele trabalha na revista desde 1993. “Jeffrey Toobin foi suspenso enquanto investigamos o assunto”, disse um porta-voz da revista.

Leia também

O escritor, por sua vez, alega que acreditava estar com a câmera desliga. "Cometi um erro embaraçosamente estúpido, acreditando que estava fora das câmeras. Achei que tinha silenciado e que ninguém podia me ver", disse à Vice.

Toobin também atuava como o principal analista jurídico da emissora CNN dos Estados Unidos, que informou que o autor pediu folga para "tratar de um assunto pessoal".

Toobin é autor do livro "True Crimes and Misdemeanors: The Investigation of Donald Trump", sobre o presidente dos Estados Unidos, Doald Trump, e a ligação com a Rússia no pleito de 2018.