Escritora que acusou Trump de estupro planeja novo processo contra ex-presidente dos EUA

A escritora E. Jean Carroll, que acusou o ex-presidente norte-americano Donald Trump de estupro, chegando em audiência em tribunal federal nos EUA. Arquivo. 21 de outubro de 2020.REUTERS/Carlo Allegri/File Photo

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - Uma escritora que acusou Donald Trump de estuprá-la há mais de vinte anos planeja abrir um novo processo contra o ex-presidente dos Estados Unidos, e a advogada do republicano classificou a iniciativa como "extraordinariamente prejudicial".

Em uma carta divulgada na terça-feira, uma advogada da ex-colunista da revista Elle E. Jean Carroll disse que planeja processar Trump por agressão e inflição intencional de sofrimento emocional sob a Lei de Sobreviventes Adultos, do Estado de Nova York.

Essa lei, recentemente sancionada pela governadora Kathy Hochul, dá aos acusadores adultos uma janela de um ano para apresentar ações civis por suposta má conduta sexual, independentemente de há quanto tempo o crime ocorreu.

Trump negou ter estuprado Carroll e a acusou de inventar a alegação de estupro para vender seu livro.

A advogada de Carroll, Roberta Kaplan, disse que sua cliente planeja processar Trump em 24 de novembro, quando a lei estadual entrar em vigor, e que as alegações e o caso de difamação existente de Carroll contra Trump podem ser julgados juntos em fevereiro de 2023.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB