"Esgotamos nosso tempo", diz premiê britânico na COP26

·1 min de leitura
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, discursa durante a conferência climática COP26 em Glasgow

Por Mark John e Katy Daigle

GLASGOW (Reuters) - Uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) que é crucial para evitar os efeitos mais desastrosos da mudança climática começou nesta segunda-feira, e líderes mundiais, especialistas do clima e ativistas prometem uma ação decisiva para deter o aquecimento global.

A tarefa da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) na cidade escocesa de Glasgow se tornou ainda mais intimidante depois que as grandes nações industrializadas do G20 foram incapazes de combinar novos compromissos ambiciosos em uma cúpula de final de semana em Roma.

O G20 é responsável por cerca de 80% das emissões de dióxido de carbono, o gás produzido pela queima de combustíveis fósseis, que é a causa principal das ondas de calor, secas, inundações e tempestades que estão aumentando de intensidade em todo o mundo.

"A humanidade já esgotou seu tempo contra a mudança climática. Estamos a um minuto da meia-noite e precisamos agir agora", disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na cerimônia de abertura.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou o plenário da conferência que os seis anos mais quentes já registrados ocorreram a partir de 2015.

Enquanto Johnson subia no palco, a ativista sueca Greta Thunberg retuitava um apelo aos seus milhões de seguidores para que assinem uma carta aberta acusando os líderes mundiais de traição.

"Isto não é um ensaio. É código vermelho para a Terra", disse o tuíte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos