Espaços multiúso viram tendência nos lançamentos

Os empreendimentos imobiliários que combinam usos diversos do mesmo espaço ganham força nos novos projetos do mercado carioca, reunindo soluções para a moradia, o lazer e o trabalho. Um dos lançamentos que contemplam esse conceito é o Pátio Nazareth, da Cury Construtora, em Santo Cristo, com 818 apartamentos de 32 e 74 metros quadrados. O residencial terá uma oficina de ferramentas, entre outras comodidades — um upgrade na tendência de multiplicação dos espaços de uso comum, acelerada pela pandemia.

O vice-presidente Comercial da Cury, Leonardo Mesquita, informa que a oficina terá todos os equipamentos necessários aos serviços domésticos, além de um local adequado para pequenos reparos, como consertar uma cadeira quebrada, por exemplo. Segundo ele, o morador poderá pegar as ferramentas e fazer o conserto em casa ou usar o espaço da oficina. Com um portfólio recheado de residenciais com estúdios ou apartamentos compactos, a Cury ganhou experiência em ampliar as áreas de uso comum para além dos tradicionais piscina, academia e salão de festas. Seus empreendimentos oferecem minimercado e coworking, já obrigatório.

— No Pátio Nazareth, haverá lavanderia com máquinas industriais e espaço pet com estrutura para dar banho no animal de estimação. Na verdade, esses serviços retomam a ideia original de condomínio, que é poder fazer tudo sem sair de casa e compartilhar determinados custos entre os moradores — observa Mesquita.

No Be.Península, na Barra, com 304 unidades, a Canopus investiu em um coworking adequado não apenas a quem quer trabalhar sozinho, mas também para os moradores que precisam fazer reuniões ou trabalhos em grupo. Há uma sala com 14 lugares e dois espaços menores para três e quatro pessoas, respectivamente, todos com ar-condicionado e televisão.

— Para acessar o coworking, o visitante não precisa passar pelas áreas internas do condomínio. O prédio tem uma entrada externa independente — explica o superintendente Comercial da Canopus, Thiago Hernandez.

Coworking ampliado

A ideia de ampliar o conceito do coworking partiu dos próprios moradores de outros empreendimentos da construtora, que, com a pandemia, passaram a ficar mais tempo em casa. Apesar da relativa volta ao normal, muitos adotaram o sistema híbrido de trabalho e de estudo. Sem falar que, após dois anos de isolamento, as pessoas recuperaram a vontade de receber amigos e parentes, mas não necessariamente dentro de seus imóveis.

— No Soul, por exemplo, temos um espaço gourmet com cozinha integrada ao ambiente, que virou um sucesso, pois as pessoas podem fazer um almoço ou jantar de forma mais segura. As áreas comuns dos nossos empreendimentos sempre privilegiam uma área externa e um lavabo privativo. São diferenciais para os novos tempos — afirma Hernandez.

No Hub Coliving, na Rua das Marrecas, a lista de ambientes com mil e uma utilidades inclui coworking, lavanderia integrada à academia, para que o morador possa fazer exercícios enquanto as roupas são lavadas, e delivery point.

— É fundamental oferecer alternativas que se adaptem às necessidades de quem precisa morar com conforto e conveniências — diz Cristina Gravina, líder de Produção e Marketing do Opportunity Imobiliário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos