Espanha acelera expulsões em Ceuta após maré de migrantes vinda do Marrocos

·1 minuto de leitura
Milhares de migrantes cruzam a fronteira Marrocos-Espanha

Por Jon Nazca and Mariano Valladolid

CEUTA, Espanha (Reuters) - As autoridades espanholas realizaram expulsões em massa de migrantes do seu enclave norte-africano de Ceuta nesta quarta-feira, depois que milhares de pessoas cruzaram o território do Marrocos à Espanha.

O primeiro-ministro Pedro Sánchez disse que 4.800 dos mais de 8.000 migrantes que entraram em Ceuta nos últimos dois dias foram enviados de volta, e as forças de segurança de ambos os lados intervieram para impedir a passagem de mais pessoas.

"Estamos realizando o envio imediato daqueles que entraram irregularmente", disse Sánchez ao Parlamento.

Na quarta-feira pela manhã, soldados espanhóis em trajes de combate e policiais escoltavam alguns migrantes diretamente de volta ao Marrocos, enquanto a polícia marroquina levava centenas de jovens para longe da cerca da fronteira.

O líder do enclave espanhol havia anteriormente acusado as autoridades marroquinas de não policiarem ativamente seu lado da fronteira, e associou isso a uma decisão de Madri em admitir Brahim Ghali, líder rebelde do Saara Ocidental, território em mãos do Marrocos, em um hospital espanhol para tratamento.

A ministra das Relações Exteriores, Arancha González Laya, afirmou na quarta-feira pela manhã, em entrevista a uma rádio, que a Espanha sempre foi "primorosamente prudente" em relação ao Saara Ocidental.

Ela disse que a Espanha nunca teve a intenção de dar à hospitalização de Ghali "um caráter agressivo".

(Por Inti Landauro e Cristina Galan em Madri)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos