Espanha 'disposta' a enviar tanques Leopard para Ucrânia após autorização de Berlim

A Espanha está "disposta" a enviar tanques alemães Leopard para a Ucrânia depois que a Alemanha autorizou os países europeus a fornecerem, para Kiev, quaisquer veículos blindados que possuam — disse a ministra da Defesa, Margarita Robles, nesta quarta-feira (25).

Em entrevista transmitida pela televisão pública, Robles afirmou que "a Espanha está disposta, dentro desta coordenação, a negociar com nossos aliados [o] envio do Leopard". A ministra acrescentou que Madri está pronta para oferecer "manutenção e treinamento" para a operação desses equipamentos.

"A Espanha está onde deveria estar (...) Não se entenderia internacionalmente que estivéssemos em outro lugar", afirmou horas antes o ministro da Presidência e braço direito de Pedro Sánchez, Félix Bolaños.

Nenhum dos dois ministros especificou quando a ajuda poderá se materializar, ou quantos veículos blindados poderão ser enviados para Kiev.

"Vamos entrar em contato com o grupo de coordenação criado pelos aliados [para] ver quais são as necessidades e, dentro das necessidades, quais são as capacidades da própria Espanha para poder fazer as entregas", acrescentou Margarita Robles.

Segundo a ministra, "a grande maioria" dos Leopard que a Espanha tem "precisa de um ajuste" antes de poder ser entregue.

"Alguns outros se encontram num estado lamentável" e "não podem ser objeto de qualquer tipo de entrega", reconheceu.

Sob pressão de seus parceiros, a Alemanha autorizou nesta quarta-feira o envio de tanques Leopard para a Ucrânia, que os reivindicava, insistentemente, para se defender melhor da invasão russa, iniciada há quase um ano.

Berlim anunciou que entregará à Ucrânia 14 tanques Leopard 2A6 de suas reservas e autorizou seus parceiros europeus a enviarem os veículos blindados que possuírem.

Segundo o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês), a Espanha conta hoje com 327 tanques Leopard.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, aplaudiu nesta quarta-feira a decisão da Alemanha, dizendo que pode "ajudar a Ucrânia a ganhar".

"Em um momento crítico da guerra da Rússia", os tanques "podem ajudar a Ucrânia a se defender, vencer e prevalecer como uma nação independente", disse Stoltenberg no Twitter.

Na Espanha, o anúncio gerou críticas dentro do próprio governo de coalizão, do partido minoritário dos socialistas ao partido radical de esquerda Podemos.

"Muitos especialistas estão nos alertando de que o envio dos Leopard só contribuiria para a escalada da guerra e poderia ter uma resposta imprevisível" da Rússia, advertiu Ione Belarra, secretária-geral do Podemos, legenda que, desde o início, recusou-se a enviar armas para a Ucrânia.

du/mg/mar/aa/tt/aa