Espanha garante apoio ao Líbano

O presidente do Governo espanhol deslocou-se ao Líbano, na quarta-feira. Em Beirute, Pedro Sánchez transmitiu ao homólogo libanês, Najib Mikati, o apoio de Espanha para ajudar o país a sair da profunda crise económica, social e política que atravessa desde 2019.

O encontro dos dois líderes ocorreu após Sánchez ter visitado o contingente espanhol na cidade de Marjayoun que participa na missão de paz das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), uma missão que conta com mais de 10.000 militares.

O primeiro-ministro libanês, segundo fontes espanholas, expressou a sua gratidão por esta presença militar, que reconheceu como prova do compromisso com a paz e o futuro do Líbano, e elogiou o facto de a UNIFIL ser agora comandada por um general espanhol.

Como exemplo deste compromisso, Sánchez recordou também que após a explosão no porto de Beirute em 2020, Espanha colaborou com o Líbano, fornecendo alimentos, medicamentos e ajuda económica tanto às autoridades do país como às suas forças armadas.

Foi a 4 de agosto de 2020 quando a explosão de um armazém causada pela combustão de 2.750 toneladas de nitrato de amónio no porto de Beirute fez, pelo menos, 202 mortos e destruiu uma grande parte da capital libanesa, deixando mais de 300.000 pessoas desalojadas.

Espanha garante que a ajuda continuará a chegar ao Líbano, uma vez que se tornou num país prioritário para a cooperação espanhola, uma decisão pela qual Mikati também expressou gratidão.

De acordo com fontes governamentais, Sánchez salientou ao primeiro-ministro libanês que Espanha apoia a capacidade do país para alcançar a estabilidade política, o que também ajudaria a melhorar a situação económica.