Espanha nomeia novo embaixador na Venezuela em meio a retomada de relações diplomáticas

MADRI (Reuters) - O governo espanhol nomeou um novo embaixador na Venezuela, sinalizando uma retomada nas relações diplomáticas entre os dois países, o que ocorre dois anos após Madri deixar o cargo vago para protestar contra o que disse ser a ausência de eleições livres no país sul-americano.

Após as eleições presidenciais de 2018, a Espanha reconheceu o líder da oposição, Juan Guaidó, como presidente interino e se distanciou do governo de Nicolás Maduro, culminando com a retirada de seu principal enviado a Caracas em novembro de 2020.

A nova nomeação anuncia uma mudança nessa postura no contexto do dialogo político em andamento no México entre o governo da Venezuela e grupos de oposição.

"Há novas circunstâncias que tornam aconselhável elevar a representação da Espanha na Venezuela ao nível de embaixador", disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores espanhol nesta quarta-feira.

"Assim que as negociações no México forem retomadas, a Espanha pretende poder influenciar... a abertura do processo político venezuelano", disse o porta-voz, acrescentando que a decisão não altera a posição de Madri nas eleições de 2018.

O governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez quer garantir que as próximas eleições presidenciais de 2024 na Venezuela sejam "mais democráticas e permitam que a oposição desempenhe o papel que não conseguiu exercer na época", disse ele.

O novo embaixador é Ramón Santos Martínez, chefe interino da missão diplomática em Caracas desde novembro de 2021.

(Reportagem de Belén Carreño)