Espanha tem menor balanço diário de mortes por coronavírus desde 20 de março

Policiais aplaudem profissionais da saúde que pedem melhores condições de trabalho em 29 de abril de 2020 na entrada do Hospital Clinic de Barcelona

O governo espanhol anunciou quinta-feira que estabelecerá horários para permitir partidas limitadas para seus cidadãos a partir de sábado, em um dia em que o país anunciou seu menor número de mortes diárias desde 20 de março.

De acordo com informações do Ministério da Saúde nesta quinta-feira, a Espanha registrou 268 novas mortes, elevando o total de mortes para 24.543, o quarto maior saldo do mundo, atrás dos Estados Unidos, Itália e Reino Unido.

O país permaneceu nos últimos cinco dias, em torno das 300 mortes diárias, longe do pico de mortes ocorridas no início de abril, quando atingiram 950 mortes em 24 horas.

Tudo isso ocorre após sete semanas de severo confinamento, durante os quais os espanhóis só podiam sair para trabalhar se não fosse possível fazer isso em casa ou para atividades básicas, como comprar comida ou remédio ou passear com o cachorro.

Essas restrições, decretadas em 14 de março, começaram a ser flexibilizadas no fim de semana passado, com a autorização de saídas para menores de 14 anos por uma hora por dia.

Comemorando que o país está "atingindo seus objetivos", o ministro da Saúde, Salvador Illa, confirmou as novas "medidas de alívio" agendadas para sábado: a possibilidade de praticar esportes individualmente ou caminhar com uma pessoa que vive na mesma residência.

Para evitar o acúmulo de pessoas que foram vistas no primeiro dia de saída das crianças, o ministério estabeleceu horários diferentes para essas saídas em municípios com mais de 5.000 habitantes.

Os adultos que quiserem caminhar ou praticar esportes poderão praticar das 06h00 às 10h00 e das 20h00 às 23h00, os idosos terão horários reservados das 10h00 às 12h00 e das 19h00 às 20h00 e crianças das 12h00 às 19h00.

Em Barcelona, para aumentar o espaço disponível para os pedestres, decidiram abrir 70 parques públicos fechados desde o início do confinamento e proibir o tráfego de carros em cerca de quarenta ruas.

- Prejuízo econômico -

O governo afirma que a epidemia permanece controlada e destaca os resultados do confinamento.

"Começamos no dia 14 de março com número de infectados de 35% (de aumento diário), hoje estamos em 0,6%", afirmou o chefe da Saúde.

Segundo o ministério, os casos confirmados do novo coronavírus ultrapassam 213.000, enquanto o número de pessoas que foram curadas da doença é superior a 112.000.

As restrições deixaram um prejuízo econômico significativo. No primeiro trimestre, o PIB caiu 5,2% e a taxa de desemprego subiu para 14,4%.

Além disso, quase 4 milhões de pessoas estão com empregos suspensos pela interrupção temporária da atividade de suas empresas.

O primeiro-ministro espanhol, o socialista Pedro Sánchez, anunciou na terça-feira um plano para o "progressivo" desconfinamento da população, que será realizado em "fases" e deverá terminar no "final de junho" se a epidemia evoluir favoravelmente.

O plano prevê uma reabertura muito gradual e com capacidade limitada em setores de atividade como restaurantes ou hotéis, que criticaram fortemente a estratégia do governo.