Especialista do governo dos EUA alerta para as consequências do desconfinamento precoce

O doutor Anthony Fauci em videoconferência diante do Senado dos EUA em Washington

Anthony Fauci, o principal conselheiro médico do governo de Donald Trump, alertou nesta terça-feira (12) sobre as "sérias" consequências em suspender prematuramente o confinamento decretado devido à pandemia de coronavírus, durante uma esperada audiência diante do Senado dos Estados Unidos.

O renomado epidemiologista, muito popular nos Estados Unidos já que passa uma mensagem de calma e de forma controlada, faz parte de uma comissão que comparece nesta terça-feira virtualmente diante do Senado, sobre a crise de saúde que deixou mais de 80.000 mortos no país.

"As consequências podem ser muito sérias", afirmou o epidemiologista, que também alertou que o saldo de mortos pode ser superior aos números oficiais, citando como exemplo Nova York, onde pode haver casos de pessoas que morreram de coronavírus em casa, devido à saturação dos serviços de saúde.

Os especialistas participam por videoconferência, já que se encontram em quarentena devido ao fato de vários funcionários da Casa Branca terem contraído o vírus.

A audiência se desenvolveu com alguns senadores na sala e outros conectados virtualmente. Os poucos legisladores na sala apareceram com o rosto coberto por uma máscara e se cumprimentaram tocando os cotovelos, seguindo as recomendações de saúde.

A aparição no Senado, dominado pelos republicanos, ocorre depois que Trump bloqueou uma audiência diante de uma comissão da Câmara dos Deputados, onde os democratas são maioria.

Antes de começar, o presidente do comitê de Saúde do Senado, Lamar Alexander, procurou evitar uma tensão excessiva.

"Antes de gastarmos muito tempo apontando com o dedo, gostaria de dizer que quase todos aqui subestimamos o vírus", afirmou o senador republicano, que também compareceu à distância porque está em quarentena.