Especialistas comentam danos em look de Marilyn Monroe usado por Kim Kardashian: 'Deveria ter sido poupado'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Em 1962, Marilyn Monroe surgiu no aniversário do presidente John F. Kennedy com um vestido justo e brilhante para cantar "Parabéns a você". A cena ficou para eternidade, assim como o look da atriz, que, 60 anos depois, voltou à vida no corpo de Kim Kardashian, no baile de gala anual do Metropolitan Museum de Nova York. Após todo alvoroço, foram reveladas imagens da peça danificada.

O vestido, tido como o primeiro naked dress da história, foi criado pelo figurinista de Hollywood Bob Mackie e tem mais de seis mil cristais costurados sobre um tecido translúcido. Em fotos divulgadas pelo perfil @marilynmonroecollection é possível notar que várias pedras foram perdidas e que há rasgos e mais alguns desgastes.

O look, até o Met Gala, era preservado num cofre escuro, a 20ºC e com 40-50% de umidade, no Ripley’s Believe It Or Not Museum de Orlando, Flórida. A peça havia sido arrematada no leilão Julien's Auctions por 4,8 milhões de dólares, em 2016. Foi o vestido mais caro já leiloado no mundo.

Entre os fashionistas e pesquisadores de moda, alguns cuidados deveriam ter sido tomados para resguardar a integridade do artigo.

"O icônico vestido de Marilyn já havia sido usado antes pela atriz Rene Russo, em 1999, no filme 'A arte de Thomas Crown', com o galã e ex-007 Pierce Brosnan, sem que tivesse ocorrido aparentemente qualquer incidente", diz a pesquisadora Paula Acioli. "O vestido, feito de gaze precisava ter sido tratado com mais atenção, no caso do MET, pois as pessoas esquecem que tecidos também têm prazo de validade, sobretudo os mais finos e delicados."

Para a stylist e consultora de moda Manu Carvalho, roupas icônicas até podem passear, mas com muita atenção. "Acredito que essas peças podem sair das gavetas, papéis de seda e manequins para se mostrar. Mas em quem cabe. A Kim não era do tamanho da roupa. Ela era maior que o vestido, mas acabou esgarçando", comenta Manu.

Paula acrescenta: "É um look histórico, que representou um momento histórico, fartamente documentado. Deveria ter sido poupado e mostrado apenas em exposições, pois o contato com o corpo, no caso, de medidas maiores que as de Marilyn, suor e movimentos, pode danificá-lo, pois já se encontra fragilizado pelo tempo".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos